10 motivos para buscar e manter a saúde bucal.

 In Dia-a-dia, Público em geral

A odontologia é a área da saúde que se ocupa da prevenção e do tratamento dos problemas dentários e dos demais tecidos bucais.

Dentro desse contexto a profissão é fundamental para o conceito de qualidade de vida e atua como parceira dos demais segmentos da saúde (caso da medicina, da fisioterapia, da nutrição, da psicologia, da fonoaudiologia, etc.), na resolução dos problemas que afetam o bem estar das pessoas.

Muitas pessoas ainda desconhecem a importância de um sorriso saudável. Na sequência desse texto, listo dez razões que justificam o significado de se preservar os dentes, as gengivas e os tecidos bucais em ótimas condições.

1) Dentes e gengivas saudáveis são fundamentais para a saúde corporal.

Inúmeros estudos científicos mostram que as infecções bucais (destacando as que afetam as gengivas e o osso que revestem os dentes graças ao acúmulo de bactérias sobre os elementos dentários), podem significar um risco além das perdas dentárias.

As infecções das gengivas (também conhecidas como doença periodontal) foram associadas com a maior ocorrência de partos prematuros e nascimentos de bebes de baixo peso, com as complicações do diabetes, com as doenças cardiovasculares, com as infecções respiratórias, com as doenças do aparelho digestivo e a outras doenças inflamatórias corporais caso das artrites, do aumento no PSA (antígeno prostático que regula o risco para o câncer de próstata) e outras situações inflamatórias ou degenerativas do corpo.

Fica claro que cuidar da boca é fundamental ao bom funcionamento do seu corpo e pode cooperar com a sua longevidade.

2) A boca é o seu principal órgão de interação com o mundo.

Talvez o coração seja o único órgão do corpo que trabalhe mais do que a sua boca. Apesar disso a boca é um órgão de interação com o mundo, muito mais intenso que o próprio músculo cardíaco. Repetidas vezes, ao longo do dia – você fala, come, bebe, cospe, saliva, beija, respira, morde, sorri… tudo isso graças a sua boca!

Não dispor de toda a dentição e de saúde bucal é interagir de forma menos adequada com o mundo em que vivemos a conseqüência de uma boca doente, com dentes infectados é que você não usufrui do melhor que essa cavidade pode oferecer para a sua interação com o mundo.

3) O mal hálito é culpa da sua boca.

Pesquisas científicas mostram que, ao contrário da crença popular, não são os problemas de estomago e intestino os principais causadores do mal hálito. Na década de 90 um famoso pesquisador belga de nome Daniel Van Steenberg evidenciou que apenas 1% dos casos desse sintoma popularmente chamado de bafo – relacionavam-se com distúrbios estomacais ou intestinais.

As doenças dos dentes e das gengivas justificaram 91% das ocorrências totais de mal- hálito avaliadas na pesquisa. Na visão desse pesquisador, o problema é que muitos pacientes ainda insistem em procurar o dentista, apenas nos momentos de dor ou desconforto, deixando de lado a prevenção das doenças bucais, ainda em fase assintomática. Essa é uma das situações mais associadas com a ocorrência desse sintoma desfavorável a imagem das pessoas.

4) Odontologia não é sinônimo de dor ou sofrimento.

A evolução das técnicas e das bases científicas que respaldam os tratamentos bucais, melhorou as possibilidades de reabilitação do sorriso, da mastigação e da preservação dos dentes e das gengivas em ótimo estado ao longo de toda a vida.

Além deste aspecto técnico, outro fator importante é o relativo aos recursos e técnicas voltadas ao controle da dor e da ansiedade dos que temem os tratamentos bucais.

Novos produtos anestésicos, recursos para a sedação dos pacientes no consultório com óxido nitroso, medicações capazes de aliviar a dor e a inflamação e recursos que auxiliam a sensação de conforto dos pacientes como as técnicas de musicoterapia, as esteiras massageadoras acopladas a cadeira do dentista, a utilização de vídeos e imagens e óculos com imagens 3D são ferramentas de apoio que tornam o ambiente do consultório dentário mais prazeroso e muito menos amedrontador para crianças e adultos de qualquer faixa etária.

Isso significa que o medo do dentista, não serve mais como justificativa para os que teimam em negligenciar as visitas de rotina aos profissionais do segmento.

5) As possibilidades de higiene bucal estão ao alcance de todos.

Independente do estado bucal, qualquer paciente dispõe de recursos de higiene dos dentes, da língua e das gengivas absolutamente eficazes a sua necessidade de remover ao menos duas vezes ao dia o acumulo de bactérias que se estabelece nessa região.

Escovas de dentes com diversas finalidades, somam-se aos inúmeros modelos de fio dental, cremes dentais, bochechos e limpadores linguais que atendem as expectativas de toda e qualquer pessoa verdadeiramente interessada em praticar os cuidados necessários a preservação do sorriso.

Um paciente disposto a cuidar da sua boca deve procurar um dentista e se informar sobre as melhores opções disponibilizadas para a cobertura da sua necessidade diária de higiene e de cuidados com a boca. À partir daí, basta praticar e garantir a maior sobrevida a essa joia que adorna o seu sorriso a sua dentição.

6) O alinhamento dentário correto é sinônimo de estética e boa mastigação.

As possibilidades de correção dos dentes tortos que comprometem a estética, que dificultam a mastigação e que limitam a higiene dentária – cresceram nos últimos anos.

Com o surgimento da ortodontia e da ortopedia funcional dos maxilares, as opções de realinhamento das arcadas dentárias melhoraram tanto, que crianças ou adultos podem redistribuir os seus dentes de forma mais harmônica com o tamanho da sua boca e o seu desenho de rosto.

Quem assistiu o filme A fantástica fábrica de Chocolate viu como a ortodontia do passado é diferente da praticada nos dias de hoje. Quem não se recorda das lembranças sofridas, do personagem Willie Wonka o dono da Fábrica de Chocolates apresentado na fábula como alguém que sofreu, uma barbaridade, com aparelhos dentários absolutamente obsoletos para os dias atuais.

Atualmente os recursos e aparelhos de correção do alinhamento dos dentes são muito mais discretos e acessíveis a rotina de vida das pessoas. Além disso, o seu custo não é algo impeditivo para a sua prescrição como forma de tratamento.

Corrigir os dentes, mais do que devolver estética e boa mastigação pode facilitar a eficiência de higiene de todas as áreas dos dentes atingidas pelas bactérias da boca também conhecidas como placa bacteriana e que são responsáveis pelos estragos relacionados com os problemas bucais.

7) Dos tempos de Tiradentes para a época dos Implantes.

No passado muitas pessoas procuravam os dentistas ao primeiro sinal de existência de problemas com a dentição para arrancar os dentes e substituir os elementos comprometidos por próteses variadas ou até mesmo pelas dentaduras.

Achavam que isso poderia prevenir dores, novos problemas com a boca e permitiriam seguir mais tranquilamente com uma rotina de vida relacionada com o abusivo consumo de doces e de outros alimentos nocivos a saúde da boca caso do excesso de bebidas alcoólicas.

A evolução do conhecimento científico derrubou essas crenças populares e mostrou que o açúcar, o álcool e o cigarro não prejudicam apenas os dentes. Eles são nocivos a saúde geral das pessoas e cada vez mais são considerados vilões da obesidade, dos canceres, das cáries e de várias outras doenças que acometem a boca e o corpo.

Outro aspecto importante é que a ausência dos dentes prejudica o funcionamento das articulações e das musculaturas da face, que trazem inúmeros transtornos a imagem, a saúde e ao bem estar das pessoas.

O surgimento dos implantes foi mais uma revolução que veio para beneficiar a recuperação da dentição dos que de fato perderam a chance de dispor da sua dentição original. Eles oferecem uma possibilidade de recuperação da mastigação bastante próxima do original e são mais uma dentre as opções de tratamento bucal aos desdentados.

8) Ausência de dentes e de saúde bucal é fator de limitação social.

Pessoas com mal hálito, dentes esburacados pelas cáries, gengivas vermelhas e sangrantes e desprovidas de dentes são mais introspectivas ou deixadas de lado nas rodas de convívio social.

Recentemente um importante diário jornalístico noticiou que a prefeitura de um grande município brasileiro exigia no concurso público para a vaga de Gari, que o candidato dispusesse a menos de 8 bons dentes.

Após os protestos da coletividade, esse órgão público teve de rever a exigência, o que não excluiu a percepção da comunidade sobre a importância da dentição para a credibilidade da imagem associada com os nossos relacionamentos profissionais e/ou sociais.

9) O aumento do risco de câncer de boca é maior em pacientes que descuidam do sorriso e da mastigação.

O câncer de boca é um dos mais observados em homens e mulheres que negligenciam os bons tratos com a saúde bucal especialmente por fumarem muito, abusarem muito de bebidas alcoólicas e descuidarem da higiene da boca.

De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer) o câncer de cabeça e pescoço é um dos que mais mutila e restringe a qualidade de vida das pessoas. Prevenir é o melhor remédio.

10) A digestão começa pela boca.

Não dispor de dentes e gengivas saudáveis, dificulta o inicio do processo digestivo pela ausência de mastigação correta e restringe o aproveitamento de todos os nutrientes contidos nos alimentos.

Os nutrientes disponíveis nos alimentos começam a ser liberados ao organismo através da maceração e incisão gerada pelos dentes, acompanhada da enzima amilase salivar que ajuda no inicio da quebra molecular desses alimentos.

Se isso não ocorre na boca, o bolo alimentar encaminhado ao estomago e intestino apresenta mais resíduos não digeridos que agridem as estruturas internas e levam ao sub aproveitamento dos alimentos e a uma menor sensação de saciedade ao comer.

Dentes saudáveis e bem cuidados melhoram a vida dos que apreciam degustar alimentos frescos e consistentes ? como carnes, frutas e legumes. A condição para uma boa nutrição, também é tema de interesse da saúde bucal.

Prof. Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes
Cirurgião-Dentista | Mestre em Odontologia pela Universidade Paulista | Membro da Sociedade Brasileira de Periodontia e da American Academy of Periodontology

Esse texto foi escrito pela equipe do Blog Adoro Sorrir para a próxima edição da Revista Vida Natural.

Recent Posts