A higiene bucal e suas etapas

 em Interdentais, Público em geral

1°  HIGIENE DAS MÃOS & BOCHECHO HIDRATANTE

Lave mãos com água e sabão ou gel desinfectante para evitar o contato com germes indesejados pela boca. A seguir, faça um bochecho com água para hidratar os tecidos da boca e eliminar partículas maiores de alimentos que podem se depositar nas escovas, atritar ou ferir as gengivas e as mucosas bucais.

2° SELEÇÃO DOS RECURSOS

Nesse sentido, é importante a opinião do dentista e alguns conhecimentos básicos ao alcance de todos.

A higiene bucal deve começar pela limpeza dos vãos dos dentes. Selecione um fio ou fita dental e/ou a escova interdental que irá lhe atender nesta prática e valorize esse procedimento, tanto quanto a escovação tradicional.

Assim você conseguirá melhorar a qualidade da higiene bucal e a sua capacidade de prevenir a maioria dos problemas da boca que, geralmente, começam nos vãos dos dentes.

Após isso vem a escovação tradicional. Nesse sentido, a qualidade da escova dental é definida pela maciez , quantidade de cerdas e tamanho apropriado da cabeça da escova, que deve coincidir com o da sua boca. Opte pelas cerdas mais macias com, no mínimo, três fileiras de cerdas distribuídas em altura similar. Não deixe a escova exposta ao ar do banheiro, proteja-a regularmente para evitar contaminações. Lembre-se de trocar a escova a cada dois ou  três meses.

Com escovas de cerdas novas, é mais fácil evitar o aumento de força na escovação e os traumas aos tecidos da boca.

3° NÃO DESPERDICE ÁGUA

Ao abrir a torneira, molhe as escovas, bocheche e feche a torneira. se achar mais confortável, encha um copo com água para que o acompanhe ao longo da prática da higiene bucal.  Realize a higiene bucal e, ao final, reabra a torneira para o derradeiro bochecho e lavagem da boca. Estima-se que seguindo esta recomendação de não deixar a torneira aberta durante a escovação, uma pessoa economize de 8 a 10 litros de água a cada higiene da boca.

4º MOVIMENTOS DE ESCOVAÇÃO

5° Passo – Medida certa de pasta

Tenha em mente que o importante é a escova e não a pasta dental. A pasta não pode ser abrasiva e deve ser utilizada em pequena quantidade – semelhante a um grão de ervilha. No caso das crianças, até os seis ou sete anos, procure um creme dental não abrasivo, sem flúor, até que haja controle sobre a deglutição, pois, a água de abastecimento já é fluoretada e o excesso de flúor pode ser prejudicial.

6° Passo – Fio dental nem sempre ajuda

O fio dental é um poderoso aliado para prevenção das doenças orais, porém, devido à região entre os dentes ser côncava (como um prato de sopa) o fio dental não é 100% eficiente. É recomendado usá-lo para a remoção de detritos alimentares e para a higienização da região entre os dentes onde o contato é muito apertado.

7° Passo – Já tem escova interdental ?

Apenas as escovas interdentais alcançam completamente concavidades e irregularidades entre os dentes. Insira a ponta da escova interdental entre dois dentes de forma inclinada em direção a gengiva. Nos dentes superiores inclina-se a escova um pouco para cima e nos dentes inferiores inclina-se a escova um pouco para baixo. Lembre-se de fazer isso delicadamente. Se a escova deslizar muito facilmente, sem qualquer pressão, opte por uma de diâmetro maior. Não é necessário fazer movimentos de vai e vem, apenas coloque e retire a escova e a limpeza já estará feita. Mas lembre-se de usa-la diariamente.

8° Passo – Para improvisar

Para complementar a escovação durante o dia, principalmente quando está longe de uma pia, lance mão da escova unitufo. Esta escova permite a desorganização do biofilme oral das principais áreas de acúmulo que são justamente as margens gengivais. Passe a língua sobre os dentes, onde sentir que não está lisinho, escove com a escova unitufo. Não precisa enxaguar a boca ou usar creme dental. Esta escova pode ser utilizada a todo o momento como auxiliar a escovação principal, que deve preferencialmente ser realizada à noite antes de dormir.

9° Passo – Não se esqueça da língua

A limpeza da língua também deve fazer parte de uma higiene bucal perfeita, principalmente para prevenir a halitose.  A halitose está relacionada principalmente pela presença de um tipo de placa bacteriana formada sobre a língua chamada de saburra lingual. Esta saburra sofre um processo de fermentação que provoca a liberação de gases derivados do enxofre que causam um odor muito desagradável na boca. Para evitar esse problema, faça diariamente a higienização da língua para remover a saburra lingual. Para isso, escolha os higienizadores linguais plásticos, do tipo CTC, que removem a saburra lingual sem machucar a língua e sem provocar ânsia e náuseas. A escova foi desenvolvida para escovar os dentes e não a língua.

10° Passo – Cuidado para usar o enxaguante bucal

O uso de antissépticos deve ser recomendado pelo dentista. Quando a desorganização da placa é realizada de forma eficiente, os antisépticos são totalmente dispensáveis. Fazer uma boa escovação, usar o fio dental ou a escova interdental e limpadores de língua são os melhores métodos para prevenir doenças orais.

11° Passo – A escova também precisa de cuidados

Limpe a escova com água corrente. Dê pequenas batidas com a escova sobre a palma da mão. Pingue algumas gotas de antisséptico oral, preferencialmente a base de clorexidina 0,12%, normalmente utilizado para bochechos. Coloque o protetor de cabeça que também deve ser limpo com antisséptico. Guarde a escova com o cuidado de deixá-la separada das outras. Antes da próxima escovação, a escova deve ser novamente muito bem lavada e enxaguada em água corrente para a remoção dos resíduos do antisséptico.

Dica – Para os pequenos

Deixe a criança tentar escovar os dentes de forma divertida, sem repressão ou crítica. Não reclame, por exemplo, se ela estiver mordendo as cerdas, pois, no começo isto é normal. Quando acabar a escovação, cheque se está tudo bem. A higiene bucal deve ser feita pelos pais até os seis ou sete anos, a partir daí, a criança começa a ter coordenação, mas precisa haver treino. Procure tirar um pouco a higiene oral exclusivamente do banheiro. Assistir a um desenho na TV ou jogar videogame enquanto escova os dentes não é algo que deva ser reprimido, mas, sim, incentivado.

Publicações recentes

Deixe um comentário