Açúcar é um dos grandes vilões dos brasileiros.

 em Público em geral

A Agência Brasil e vários sites vêm divulgando dados epidemiológicos que comprovam o quão nocivo é o açúcar para a saúde dos brasileiros. Nós, da Odontologia, valorizamos este tópico há muitos anos e insistimos que as campanhas de prevenção incluam o incentivo à redução dos abusos na ingestão desse ?doce veneno?.

De acordo com o portal Terra, mais de 60% dos brasileiros consomem quantidade de açúcar superior ao recomendado pelo Ministério da Saúde (10% da ingestão total de calorias diárias), e pelo menos 82% da população ultrapassa o consumo ideal de gordura saturada (7% da ingestão total de calorias diárias). Entre os idosos, quase 80% ingerem mais gordura saturada que o limite tolerável.

“Os adolescentes já têm inadequação para macronutrientes desde cedo. Você já vê o açúcar e gordura saturada extrapolando os limites, porque eles (adolescentes) também são alvo da prevalência de alimentação fora de casa”, avaliou André Martins, analista da Pesquisa de Orçamentos Familiares do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Martins ainda lembrou que os adolescentes revelaram índices preocupantes de sobrepeso. “Até os 10 anos, a população ainda aparece um pouco protegida da prevalência de sobrepeso, mas, dos 10 ou mais, as crianças começam a ter liberdade sobre o que comem, e pode-se observar que já ocorre um bom aumento na prevalência do sobrepeso”, alertou.

A última análise de consumo alimentar do IBGE apontou que o consumo de biscoito recheado, salgadinhos industrializados, pizzas, doces e refrigerantes foi associado às médias elevadas das gorduras saturadas e açúcar dentro do consumo energético total.”É preocupante a falta de uso de frutas, legumes e verduras na nossa cultura. Eles são necessários para minimizar nossa deficiência em alguns micronutrientes que temos, como o caso do cálcio”, ponderou Martins.

Quando o assunto é colesterol, em todas as idades, foram as mulheres que consumiram alimentos com menos colesterol – de 186,3 mg/dia a 237,9 mg/dia – do que entre os homens – 231,1 mg/dia a 282,1 mg/dia.

Publicações recentes