Adoro Sorrir entrevista uma das maiores autoridades brasileiras em Promoção de Saúde.

 em Sem categoria

Recentemente, o Brasil assistiu a ascensão da primeira mulher a presidência da República. Anos antes dessa histórica passagem, a Profa. Dra. Yvonne de Paiva Buischi, entrava para o elenco dos grandes nomes da nossa profissão ao se tornar a primeira mulher presidente da ABOPREV – Associação Brasileira de Odontologia Preventiva, uma das entidades de maior representatividade para a nossa odontologia.

Não foi por acaso que a Profa. Dra. Yvonne Buischi atingiu essa posição. Sua dedicação ao ensino e a pesquisa da promoção de saúde, através da odontologia, ganhou notoriedade no Brasil e no mundo.

A profissional destacou-se como clínica e pesquisadora capaz de compreender as demandas da nossa sociedade e como alguém que muito cooperou para a formulação dos caminhos ao aprimoramento da saúde da nossa população.

Seu talento rendeu convites e participações nos maiores eventos científicos do mundo, além de associações com as melhores universidades européias, norte – americanas e com a Organização Mundial de Saúde, aonde tornou-se consultora para assuntos de promoção de saúde.

Autora de inúmeras publicações científicas e dona de uma didática impressionante,a Profa. Dra. Yvonne Buischi, atualmente residindo e trabalhando em Nova Yorque, é a nossa convidada de honra para essa entrevista exclusiva:

1. Como andam as suas atividades profissionais nos Estados Unidos? O que tem praticado e qual o seu vínculo universitário atual?

Atualmente trabalho como Pesquisadora Sênior do Departamento de Periodontia eImplantologia da Faculdade de Odontologia da Universidade de Nova Yorque. Com a conclusão do projeto financiado pelo NIH,National Institute of Health e realizado  em conjunto com a Faculdade de Medicina da Universidade de Nova Yorque, que teve como objetivo determinar se bactérias presentes na cavidade oral e intestino podem provocar artrite reumatoide, passo a me envolver exclusivamente com os projetos de pesquisa do nosso departamento.

2. O Brasil está em ascensão e ganhou destaque na mídia internacional pelos progressos da sua economia e pelos grandes eventos que vai sediar. Na sua visão a nossa odontologia está no mesmo caminho? O que falta para nos tornarmos referência mundial no segmento?

O Brasil já e referencia mundial em Odontologia. Além de estarmos entre os países que mais apresentam e publicam trabalhos científicos em grandes congressos e revistas cientificas internacionais, os profissionais brasileiros tem ocupado lugar de destaque em varias instituições internacionais, tanto em postos acadêmicos como associativos. Recentemente, dois brasileiros ocuparam a presidência de associações de classe internacionais, caso dos Drs. Roberto Vianna (FDI) e Maria Fidela Navarro (IADR).

Além disso, pela primeira vez na estória da ORCA – European Organization for Caries Research, um congresso dessa entidade será realizado fora da Europa, em Cabo Frio, e presidido por nossa colega Dra. Sonia Groisman.

3. A sua participação na fundação e consolidação da Aboprev como entidade de promoção de saúde foi fundamental. Fale um pouco da história desta entidade que se mistura com a da saúde coletiva e da odontologia preventiva no país.

E com muito alegria que recebo essa menção a minha participação na fundação e estabelecimento da Aboprev. Vejo como um grande presente o fato de ter sido a primeira mulher presidente dessa entidade, que foi fundamental para o desenvolvimento e implementação das politicas publicas na área bucal em nosso pais.

A pessoa mais indicada para falar sobre a estória da Aboprev é o seu idealizador, Dr. Hamilton Bellini, com quem tive o privilegio de iniciar minha vida profissional.

Nota do blog Adoro Sorrir – Hamilton Taddey Bellini foi Prof. Titular de Periodontia da Puccamp e pós graduado em Odontologia pela Universidade de Oslo. Fundador e primeiro Presidente da ABOPREV ainda exerce sua atividade profissional na cidade de Jundiaí-SP.

4. Notamos que muitos dos recém-formados valorizam a entrada no mercado da odontologia pela porta das complexas intervenções cirúrgicas, reabilitações e dos implantes, deixando a base de lado. Isso não lhe parece um fruto de uma visão distorcida da profissão? Como trabalhar essa questão?

Essa postura do jovem dentista é fruto de uma visão distorcida de nossa profissão, onde ainda o tratamento curativo-reparador é altamente valorizado,tanto pela maioria das instituições de ensino, como pelos próprios pacientes.

A ?era da estética? a qualquer custo, coincide com o desenvolvimento tecnológico fantástico da odontologia. Isso reforça a ideia errônea de que a ?beleza? e mais importante do que a saúde.

E o ser bonito a qualquer custo, deixa muitas vezes de lado o papel fundamental que a saúde bucal desempenha na saúde geral. Mas esse não é só um problema nacional, também em países denominados como de primeiro mundo, o que se encontra é um ensino voltado, quase que exclusivamente, para ações curativas-reparadoras. Temos sim é que atuar na preservação da saúde e passar para nossos pacientes que ter uma boca saudável ? sem caries e sem doenças na gengiva ? é o melhor produto que podemos lhes oferecer enquanto dentistas. Nada é mais bonito do que uma boca saudável.

5. Seu livro ” abra a boca sem vergonha” foi um marco na orientação do público sobre temas de interesse da odontologia. Ao seu ver não estamos carentes de literatura para leigos?

Infelizmente não tenho acompanhado o mercado nacional nessa área. Gostaria muito de reeditar e relançar esse livro, feito em parceria com os colegas Tania Siqueira e Marcelo Bonecker, pois acho que a sua divulgação e acesso a um público maior seria de grande utilidade.

6. Quais as dicas que gostaria de apresentar para os profissionais de odontologia que nos acompanham? 

Concentrar seus esforços profissionais no desenvolvimento de uma pratica diária baseada na promoção de saúde é o caminho que qualquer profissional de saúde deve traçar, desde o inicio,independente da especialidade ou área que atue.

Publicações recentes