Alerta sobre abuso na indicação de implantes vira notícia!

 In Profissionais da saúde

Resumo de texto publicado em 22/08/2010 pelo Jornal O GLOBO

RIO – Recuperar dentes perdidos está se tornando um grande negócio no Brasil, pelo menos para os dentistas. E pacientes estão correndo riscos. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos mostra que cerca de 800 mil implantes dentários são usados por ano no país, além de 2,4 milhões de acessórios e componentes de próteses. Isto corresponde a cerca de duas mil cirurgias por dia, ou 70 mil por mês. E, segundo dentistas, pode estar havendo abuso na indicação desse tipo de tratamento, um dos mais caros.

Só para ter uma idéia do custo desse tratamento, ao se sentar na cadeira do dentista, o valor médio dos implantes varia de R$ 700 a R$ 1.400 cada pino. Além disso, tem o valor do dente propriamente dito, que também varia de R$ 700 a R$ 1.400. O plano de saúde, por exemplo, reembolsa, em média, R$ 700 por pino e R$ 700 por dente.

Para Luciano Oliveira, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Oral (SBMO) e coordenador da pós-graduação em implantodontia do Instituto de Odontologia da PUC-Rio, atualmente há abuso na indicação de implantes dentários. E, se considerarmos o número de dentistas autorizados pelo Conselho Federal de Odontologia a fazer esse tipo de tratamento (cerca de 16 mil), o número de implantes é muito alto no país, diz.
– Isso significa que cada um deles realiza cerca de 50 implantes por ano, sendo que o Sudeste concentra mais da metade dos dentistas. Principalmente nos estados do Rio, São Paulo e Minas Gerais, este tratamento está sobrevalorizado – afirma.

Substituição não significa um melhor resultado. No Instituto de Odontologia da PUC-Rio, o dentista conta que é comum receber pacientes de diferentes estados e classes sociais com implantes fixados de forma inadequada, procedimentos sem planejamento e extração prematura de dentes. Um dos motivos para tantos problemas, afirma Oliveira, é o despreparo. E ainda há dentistas que acreditam que os implantes são melhores que os dentes:
– Não se pode comparar os implantes aos dentes, pois os primeiros são próteses que cumprem parte das funções dos últimos. Um implante mal feito pode causar desde infecções a problemas na articulação da boca.

Também a dentista Flávia Rabello de Mattos, membro da Academia de Odontologia do Estado do Rio de Janeiro, afirma que aumentou o número de casos de indicação de implantes dentários sem necessidade. Para não perder os dentes, ela recomenda que as pessoas procurem um dentista com experiência de pelo menos dez anos na área de implantodontia. Além disso, conscientizar o paciente é importante, pois os implantes, assim como os dentes, podem causar problemas sérios, inclusive nas gengivas.
– Implantes são indicados a partir dos 18 anos, quando provavelmente já ocorreu o crescimento ósseo, e apenas se houver perda de dentes e suas raízes e na substituição de próteses móveis e fixas – diz Flávia, diretora do Centro Odontológico de Reabilitação Rabello.

Essa indicação dependerá ainda de uma consulta detalhada de cada caso, lembram os dentistas. Oliveira explica que estudos clínicos de médio e longo prazo já mostraram que dentes com cáries ou mesmo abalados podem ter uma sobrevida tão longa ou mais que os implantes:
– Como diz Jan Lindhe, da Universidade de Gotemburgo, a ideia de que implantes são melhores que os dentes é a inversão da lógica.
Flávia concorda e afirma que a durabilidade do implante dependerá do bom planejamento cirúrgico e da reabilitação, mas principalmente da correta higiene oral.

Prof. Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes
Cirurgião-Dentista | Mestre em Odontologia pela Universidade Paulista | Membro da Sociedade Brasileira de Periodontia e da American Academy of Periodontolog

Recent Posts