Alho pode ajudar a inibir a ação de bactérias danosas a boca

 In Público em geral

Alho (Allium sativum) tem sido conhecido por suas propriedades antibacteriana, antifúngica e antiviral, mas há poucos dados sobre seus efeitos contra  espécies bacterianas da cavidade oral, particularmente periodontopatógenos ou suas enzimas.

Obtido através de uma filtragem, em meio estéril, o extrato aquoso de alho foi testado quanto à sua capacidade de inibir o crescimento de uma variedade de espécies de microorganismos orais e de inibir a tripsina e atividade de protease à partir do Porphyromonas gingivalis – bactéria associada com a doença periodontal.

O extrato de alho (57,1% w / v, contendo 220 mcg / ml alicina) inibiu o crescimento e matou a maioria dos organismos testados. Em geral, a atividade inibitória  e a concentração bactericida, em menor concentração, funcionou para as cepas Gram-negativas (intervalo de MIC alho 35,7-1,1 mg / ml; alicina média MIC 4,1 mcg / ml, média MBC 7,9 mcg / ml) e a concentração maior atingiu as cepas Gram positivas testadas – incluindo o S mutans (alho intervalo de MIC 142,7-35,7 mg / ml; alicina média MIC 27,5 microg / ml, média MBC 91,9 microg / ml).

Estes dados indicam que o extrato de alho inibe o crescimento de microorganismos orais e as ações das suas proteases ( ou proteínas degradadoras dos tecidos bucais). Isso mostra que esse extrato de alho pode ter valor terapêutico, sobretudo para periodontite.

Fonte:
Arch Biol Oral. 2005 Jul; 50 (7) :645-51. Epub 2005 05 de fevereiro. Bakri IM , CW Douglas .

Recent Posts