Bactérias bucais e parto prematuro.

 In Público em geral

Bactérias bucais que oferecem risco as gengivas foram relacionadas com a ocorrência de partos prematuros.

De acordo com uma recente publicação do Journal of Periodontology, a presença de biofilme dentário (também chamado de placa bacteriana) repleto de bactérias nocivas ao periodonto ? mostrou associação com a ocorrência de partos prematuros.
Fica registrada a importância dos médicos (e de outros profissionais de saúde), encaminharem as gestantes para avaliações e orientações sobre os cuidados bucais durante a fase do pré ? natal. Maiores detalhes pelo www.perio.org.

Resumo do Estudo: Atividade da doença periodontal, medida pelo teste BANA está associada com partos prematuros.

Introdução: A infecção é um conhecido fator de risco para a prematuridade ao nascer. A doença periodontal é uma ocorrência inflamatória (estimulada pela infecção decorrente do acúmulo de placa bacteriana ao redor dos dentes) cogitada como um possível fator de risco a prematuridade. Este estudo de campo avaliou o vínculo entre a presença dos microorganismos associados com as doenças do periodonto ? medidos pelo teste BANA ? e a ocorrência de partos prematuros.

Métodos: Este trabalho prospectivo foi realizado em Changhua, Taiwan. O exame periodontal consistiu da medição do índice de placa, do sangramento gengival e da medição, pelo teste BANA, das amostras de biofilme dentário (placa bacteriana acumulada sobre os dentes) coletadas no segundo e terceiro trimestres da gravidez. As variáveis independentes incluíram características maternas, demográficas, história de gravidez anterior, fatores de risco, medidas do biofilme e de gengivite e acompanhamentos da gravidez atual.

Resultados: Foram registrados 7% de partos prematuros entre os 268 indivíduos investigados. A análise de regressão logística multivariada mostrou que o número de superfícies dentárias infectadas com bactérias nocivas ao periodonto, avaliadas pelo teste BANA no terceiro trimestre (odds ratio ou OR = 5,89), o ganho de peso materno (OR = 0,78), a hemorragia pré-parto (OR = 10,0) e a ruptura prematura das membranas de revestimento uterino (OR = 12,6) ? foram os principais fatores associados com a ocorrência dos partos prematuros avaliados.

Conclusões: A cultura bacteriana positiva para microorganismos associados com a doença periodontal ? obtida das superfícies dentárias mal higienizadas e inflamadas das gestantes, durante o 3 º trimestre de gestação, esteve associada com os nascimentos a pré-termo avaliados. Pode-se deduzir que a prática de higiene bucal adequada e a realização das sessões de controle clínico, antes e durante a gestação, são importantes ferramentas que auxiliam o controle da saúde materna e dos seus herdeiros.

Prof. Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes
Cirurgião-Dentista | Mestre em Odontologia pela Universidade Paulista | Membro da Sociedade Brasileira de Periodontia e da American Academy of Periodontology

Adaptação do texto de Chan Hui Chen, et al.
Fonte: Journal of Periodontology.
Publicado online em 12 de abril de 2010.

Recent Posts