Bruxismo, um problema para a saúde.

 em Público em geral

“O bruxismo, ou hábito de apertar e ranger os dentes é comum em cerca de 15% das pessoas. Esses pacientes podem sofrer fortes dores de cabeça, desgaste dos dentes e distúrbios da articulação mandibular. As causas deste problema podem ser a tensão emocional e o fechamento inadequado da boca.”

Estes sintomas são comuns durante o sono. Ranger os dentes à noite e apertá-los durante o dia, formam um problema progressivo onde o paciente perde os parâmetros e só percebe que tem bruxismo se prestar atenção na própria tensão muscular ou se alguém ouvir o seu ranger noturno. O diagnóstico geralmente é feito depois que surgem algumas complicações, mas atualmente é possível prevenir este desagradável hábito.

Causas

O bruxismo é associado ao estresse em 100% dos casos. Todos os pacientes com sintomas de bruxismo têm aumento, direto ou indireto, da tensão emocional. Um alinhamento incorreto dos dentes e o fechamento inadequado da boca está presente na maior parte dos casos e pode ser o responsável por cooperar com o aumento do stress cotidiano do portador de bruxismo, ao mesmo tempo em que colabora para intensificá-lo.

O hábito indesejado pode atingir qualquer pessoa, em qualquer idade, embora seja mais freqüente entre os 15 e 40 anos e, durante a infância, na fase das trocas dentárias.

Consequencias

As dores de cabeça tensionais são comuns nos portadores de bruxismo. Elas surgem por contração excessiva dos músculos da mastigação, podendo atingir rosto, pescoço, ouvido e até ombros. O período crítico é pela manhã (se a contração predominar a noite) ou de tarde (se predominar de dia).

Outro problema decorrente do bruxismo é dor da articulação da mandíbula – chamada de ATM. Esta articulação pode sofrer estalos, travamento, restringir a abertura da boca e desviar para o lado a arcada inferior, ao abrir e fechar da boca.

Também é freqüente a dor e o desgaste dos dentes. A dor é pior pela manhã e o desgaste pode variar em intensidade – podendo até mesmo comprometer o canal dos dentes afetados pelo hábito. Em dentes mais frágeis, sejam eles cariados ou tratados, o ranger pode provocar a quebra ou amolecimento ( especialmente se houver doenças das gengivas associadas ao bruxismo).

Tratamento

O primeiro passo é reconhecer o problema. O dentista deve fazer um “check up” da boca e eliminar com aparelhos e desgastes seletivos dos dentes os pontos que impedem uma mordida perfeita. Mas isso não é tudo. Pessoas com bruxismo têm um termômetro psicológico na boca.

O melhor é perceber que o problema não vem do nada e tentar achar suas causas no dia-a-dia.

Um passo importante para tentar curar ou pelo menos diminuir o bruxismo é cortar a tensão psicológica. Isto pode ser feito através de esportes, ioga e exercícios de relaxamento. Já distúrbios psiquiátricos, como depressão e ansiedade, devem ser aliviados e medicados, se necessário por um profissional competente. A psicoterapia identifica e trata as dificuldades emocionais associadas ao bruxismo.

Fechar bem a boca também é outra forma de evitar o bruxismo. O fechamento deve ser perfeito. O mal contato entre os dentes de cima e de baixo leva a pontos de atrito que aumentam a tensão muscular. Próteses malfeitas como pontes e dentaduras devem ser trocadas.Dentes tortos e mal posicionados também são um problema. Nestes casos, os dentes precisam ser alinhados com aparelhos dentários – atualmente indicados a crianças e adultos – conforme as necessidades avaliadas.

Outro método usado é o encaixe de placas de acrílico na arcada dental, especialmente durante a noite. Estas placas ajudam a distribuir a força muscular em todos os dentes e não apenas em um ou dois mal posicionados. Por último, o dentista deve fazer um ajuste fino do fechamento da boca através de seus instrumentos odontológicos de corte. Este procedimento é seguro e indolor ao paciente e rapidamente leva a um alívio do sintoma.

Texto adaptado do link: http://boasaude.uol.com.br, pelo Dr. Rodrigo G Bueno de Moraes

Publicações recentes