Câncer causa feridas na boca?

 In Oncologia, Público em geral

Não é raro que pacientes em tratamento de câncer se queixem a seus dentistas do aumento da presença de feridas na boca no período após o diagnóstico da doença. A dúvida que perturba o paciente — e muitas vezes o odontologista —, no entanto, está relacionada com a origem dessas lesões: elas são realmente causadas pelo câncer? Ou podem ser consequência de outros quadros clínicos? Se você também tem essa dúvida, continue lendo nosso post de hoje e descubra a resposta a seguir!

O câncer e seus sintomas

O câncer é uma doença de múltiplas facetas, podendo ter manifestações diversas em indivíduos e situações clínicas diferentes. Uma característica, entretanto, une todos os diagnósticos de câncer dentro de um mesmo padrão: o crescimento desordenado de células em uma ou mais regiões do organismo humano.

Esse crescimento pode, a longo prazo e sem tratamento, prejudicar funções corporais específicas, causando obstruções, alterações na produção de hormônios ou secreções e comprometendo o funcionamento de órgãos.

Nas várias descrições científicas sobre a manifestação dos diversos tipos de câncer já diagnosticados no mundo, não existe relação entre a presença da doença e o aumento do desenvolvimento de lesões bucais. Esses sintomas só podem ser considerados uma consequência do câncer quando a doença está se manifestando na região oral — como no caso do câncer de bocaou de língua.

Mesmo assim, ainda é possível encontrar pacientes com outras manifestações da doença (linfomas, leucemia ou tumores em outra região do corpo) que se queixam do aumento de lesões nos lábios após o início do tratamento. Mas isso pode ser explicado pela presença de outro fator que aumenta o risco de desenvolvimento de lesões bucais: o início do tratamento de quimioterapia ou radioterapia.

O tratamento do câncer e os cuidados com a saúde bucal

A quimioterapia e a radioterapia são as opções de tratamento disponíveis para controlar a manifestação do câncer, e essas técnicas são consideradas bastante agressivas e eficientes para diminuir o crescimento desordenado das células cancerígenas, influenciando positivamente no controle da doença.

Porém, apesar desse tratamento invasivo ser necessário e benéfico ao paciente, ele também apresenta efeitos colaterais significativos em outras regiões do corpo que estão saudáveis. O objetivo da quimio e da radioterapia é eliminar todas as células que possuem crescimento rápido e que, portanto, são jovens no organismo, e esse objetivo atinge de maneira efetiva as células cancerígenas, mas também prejudica outras células saudáveis que apresentam crescimento constante, como as capilares — daí a típica perda de cabelo durante o tratamento —, as cutâneas, as glandulares e as que formam as mucosas da boca.

Como as células da mucosa bucal podem ser atingidas por esse tratamento, portanto, é bastante provável que algumas feridas comecem a aparecer na região logo após o início da quimioterapia ou da radioterapia. A produção de saliva também pode ser afetada, trazendo sensação de boca seca e aumentando a incidência de lesões no local. A formação desses machucados, entretanto, costuma cessar imediatamente após o final do tratamento.

O papel do dentista no bem-estar do paciente

O odontologista, ao tratar um paciente em quimio ou radioterapia que aparece com esses tipos de lesões bucais, deve saber informá-lo de que não é o câncer o responsável pelo aumento da incidência dos machucados, mas sim o tratamento utilizado para seu controle. Por esse motivo, se ele está acompanhando o paciente antes de iniciar o tratamento contra a doença, deve optar por fazer todos os procedimentos odontológicos que são considerados mais invasivos de uma vez, evitando ter complicações futuras após o início da quimio ou radioterapia.

Caso acompanhe um paciente que já está sofrendo com as lesões, algumas alternativas podem ser sugeridas pelo dentista para redução dos sintomas e desconfortos causados por esses quadros clínicos.

Respondendo à pergunta que dá título a este texto, podemos afirmar, portanto, que o câncer não causa feridas na boca: as lesões encontradas nesses pacientes são consequências dos medicamentos e outros tratamentos utilizados para controle da doença e param de aparecer quando o tratamento é encerrado.

E você, ainda tem dúvidas sobre a relação entre o câncer e as lesões bucais e como fazer para tratá-las? Já passou por quimio ou radioterapia e teve sintomas de boca seca? Compartilhe suas experiências conosco e confira também nosso post sobre os cuidados com a saúde bucal durante o combate ao câncer!

bioxtra_post

Recent Posts

Leave a Comment