Câncer de Pâncreas – Estamos morrendo pela boca ?

 em Público em geral

Possível pista para um câncer de difícil diagnóstico e prevenção: células tumorais humanas pancreáticas e ampliadas 400 vezes. Pesquisas sugerem um forte ligação, possivelmente preditiva, entre o câncer de pâncreas e os níveis de anticorpos contra certas bactérias da boca. A higiene bucal pode fazer a diferença.

Créditos: Dr. Lance Liotta Laboratório / NCI Visuals & TePe Munhygienprodukter AB (Sweden)

A exposição a altas cargas de bactérias bucais prejudiciais a integridade do periodonto, pode ter repercussões que vão além dos conhecidos problemas periodontais. Essa afirmação já se tornou comum na literatura científica e nos veículos de mídia, quando o assunto é a periodontia médica e/ou a relação entre o estado bucal e sistêmico.

É fato que inúmeras doenças e desequilíbrios da saúde já foram expostos dessa forma. Agora mais um assunto chega a literatura e a mídia exaltando os riscos dessa indesejada interatividade.

Recentemente, um estudo com amostras de sangue de mais de 800 adultos europeus, publicado na revista Gut, mostrou que os níveis elevados de anticorpos para uma das variações de bactérias infecciosas do periodonto, o Porphtromonas gingivalis, foram associadas com um risco duas vezes maior para o câncer pancreático.

É interessante notar que os participantes do estudo com altos níveis de anticorpos para alguns tipos de inofensivos “ou comensais” de bactérias da boca,obtidos naqueles com os melhores registros de estado bucal, apresentavam um risco abaixo de 45% para o referido câncer.

Mais um reforço para a conhecida afirmação: – “a instrução e o uso rotineiro de escovas e recursos de higiene bucal são diferenças importantes para quem busca a saúde, a longevidade e a qualidade de vida” .

Para saber mais sobre o assunto, acesse: http://migre.me/bEAJ7

Publicações recentes