Cárie e Beijo – existe uma relação?

 In Público em geral

Essa pergunta chegou ao nosso blog, através da produção de um programa jornalístico da TV RECORD. A polêmica que pretendem responder, em um programa que vai ao ar em breve, diz respeito a questão do beijo e da possibilidade de transmitir a doença cárie através dele. Faz alguns meses que o blog ADORO SORRIR fez uma postagem sobre esse tema, exaltando a questão do sexo oral. Agora a questão é bem mais específica. O beijo transmite a cárie? Acompanhem a nossa resposta enviada a produção da Rede Record de Televisão. Alguém tem alguma sugestão que possa complementar o nosso raciocínio?

Produção da Rede Record: É verdade que o beijo é capaz de transmitir cáries?
AS: Isso não é de todo verdadeiro. Um beijo permite a troca, entre os parceiros, de bactérias que colaboram para essa doença destrutiva dos dentes. Contudo, para o desenvolvimento da cárie se concretizar, há necessidade de um conjunto de fatores, como: *a presença das bactérias sobre os dentes * uma dieta cariogênica – rica em açucar e consumida em excesso *e um hospedeiro ( no caso uma pessoa) -com deficiência no controle da higienização bucal.

Esse conjunto de fatores é que, de fato,irá propiciar o surgimento das cáries sobre os dentes. O beijo pode transmitir, tão somente, as bactérias causadoras das cáries.

Uma questão ainda mais séria e que também se relaciona com o beijo e com a troca de fluídos corporais, diz respeito as doenças infecciosas que afetam a saúde geral.

Algumas doenças infecto contagiosas – como a Mononucleose, alguns tipos de Hepatites e o Herpes Bucal podem ser transmitidos através dos beijos, especialmente se os envolvidos nesse ato estiverem com feridas bucais, sangramento das gengivas e úlceras em bochechas e na língua.

Aos “beijoqueiros de plantão” e aos “ficantes das baladas”, um dica:
– Essa constatação reforça a necessidade de visitas periódicas ao dentista ( a cada 6 meses, pelo menos) e de uma rotina rigorosa de higiene dos dentes que inclua as escovas, os cremes dentais e o fio dental – no mínimo – 2 vezes ao dia.

Esse é o caminho para a prevenção das infecções através do beijo e de outras formas de relação que ocorrem através da boca.

Prof. Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes
Cirurgião-Dentista | Mestre em Odontologia pela Universidade Paulista | Membro da Sociedade Brasileira de Periodontia e da American Academy of Periodontology

Fontes: www.dentistavirtual.com.br e site da ABO.

Recent Posts