Cigarro: Ganha quem vende, perde quem usa..

 In Público em geral

Hoje é o dia Nacional do Combate ao Fumo, vamos conversar sobre isso?

Em uma das últimas edições do seu CADERNO DE NEGÓCIOS, o jornal O Estado de São Paulo destacou que, apesar do Brasil ser um dos países com leis progressivamente restritivas ao fumo e o 3º colocado em redução per capita do número de fumantes, ainda está entre os paraísos da lucratividade para as empresas do segmento.

Em termos percentuais, em dez anos, reduzimos de 16% a 25% a porção da população fumante. Os fabricantes nem dão bola. Agregam mais valor ao cigarro (como se criassem uma “classe executiva”), diversificam as formas de consumo do tabaco (agora existe um tal subtipo mascado) e investem nas tiras adesivas de liberação de nicotina no corpo – que prometem “auxiliar a cessação do fumo”.

Um executivo da área disse que dezesseis por cento da população hoje é quase o mesmo ou até mais em número de cigarros vendidos, pois a população cresceu em números absolutos e isso se manterá até 2025.

Para um bom entendedor, é mais ou menos como dizer: Ainda vamos ganhar muito dinheiro vendendo esse vício e distribuindo um dos maiores fatores de risco para problemas de saúde.

Ah, você é daqueles que acha isso exagero?! Pois aí vão alguns números oficiais para a sua apreciação:

– O fumo é a maior causa de mortes passíveis de prevenção, com 5 milhões de óbitos/ano pelo mundo (Peto, 2001).

– Em 2015, logo após a nossa Copa do Mundo, 1 em cada 10 mortes pelo mundo terá o fumo como seu “grão mestre” (Ezzati;Lopes, 2004).

– No Brasil existem mais de 30 milhões de pessoas que insistem nesse erro ( INCA, 2003).

– Três por cento do PIB do Brasil é gasto no tratamento de doenças originadas pelo Tabaco e seus parceiros ( Lima, 2004).

Neste dia nacional de combate ao fumo nós da odontologia, que tanto padecemos com o hábito dos nosso pacientes, nos juntamos a outras instituições de saúde para dizer:

– Não pense mais, PARE DE FUMAR diante de tanta evidência ruim!

Recent Posts