Clareamento Dentário é coisa séria

 em Público em geral

Clareamentos dentários feitos de forma segura e planejada oferecem estética e conforto aos pacientes. (caso do Dr. Rodrigo G. Bueno de Moraes)

O clareamento dentário tornou-se um dos tratamentos dentários mais procurados. É classificado como tratamento de eleição, ou seja, pode ser feito ou não conforme o desejo e o melhor momento estabelecido pela parceria paciente – dentista, desde que disponha de boa saúde bucal.

Essa é a primeira grande diferença do clareamento para o tratamento de uma cárie ou das doenças das gengivas. Esses problemas de saúde não devem esperar para serem solucionados, sob o risco de evoluírem para um estado de agravamento dos sintomas e de maiores riscos para a saúde.

Outra questão diz respeito a quem é candidato a esse tratamento estético? Me preocupo com esses sites de compras coletivas, oferecendo tratamentos de clareamento a custos reduzidos – como uma espécie de chamariz para o incremento de uma carteira de clientes. Cuidado consumidor, o sonho vendido à descontos de 20, 40 ou 70% pode significar problemas futuros.

Faz alguns anos que acompanhei a história de uma jovem que alguns meses antes de optar por um clareamento caseiro, com moldeiras, levou um tombo, bateu o queixo e fez um belo curativo até cicatrizar o corte que obteve entre o lábio e a pele do rosto sobre o queixo. Dias depois já recuperada do susto e da ferida, retornou as suas atividades certa de que tudo estava bem, pois não sentia nada.

Alguns meses depois da queda, a bonita jovem procurou o dentista para clarear os dentes. Ele examinou a paciente e não observou a necessidade de nenhum tratamento prévio para seguir com o clareamento – salvo um polimento prévio -com jato de bicarbonato, fio dental e pedra pomes em taça de borracha.

Três dias após a paciente iniciar o clareamento com as moldeiras e o produto químico (devidamente registrado pela Anvisa), o profissional recebeu a ligação da paciente reclamando de dor na região inferior – na mesma área ao redor dos dentes abraçados pela moldeira de clareamento.

Disse que estava assustada e havia procurado um centro médico, pois o seu lábio e queixo pareciam inchados e ela sentia a gengiva dolorida e vermelha. A suspeita médica era de alergia a algum componente do produto clareador. Assim pediram que procurasse o dentista e verificasse o que poderia ser feito.

Ao chegar ao consultório, o dentista se surpreendeu com o tamanho do queixo da jovem. A pele abaixo dos lábios e o próprio lábio inferior encontravam-se vermelhos e mais volumosos, o tecido interno era curiosamente vermelho sobre o incisivo central inferior esquerdo. Nas demais áreas, apesar do inchaço, tudo parecia normal.

Temeroso o colega suspendeu o clareamento e optou por realizar uma radiografia daquele dente e daquela região.

Para sua surpresa, lá estava um belo sinal de alteração periapical sugestivo de lesão endodôntica aguda. Encaminhou a paciente a um especialista em canal que tentou drenar a lesão, sem sucesso, através do dente.

No dia seguinte, para piorar, o queixo cresceu ainda mais e o inchaço parecia ter tomado o rosto da moça. Foi quando chegou a um grande colega bucomaxilofacial que me relatou a história. Ele entrou com um protocolo médico de antibioticoterapia e fez uma incisão intra-oral para a drenagem, com medo de algo pior acontecer.

De acordo com a sua descrição ele conseguiu “encher” metade de um frasco reservatório ( uma cubeta de metal de uso cirúrgico), com a secreção de sangue e pus que saiu do local alterado.

Uma semana depois, refeita do susto e recuperada do inchaço, conseguiu terminar o canal e seguir para o restauro do dente.É possível que o trauma da batida deva ter provocado um comprometimento na vitalidade do dente que, apesar de assintomático, caminhava para lenta necrose pulpar. O clareador só fez acelerar esse processo.

Conto essa história a todos os que me procuram e dizem. Doutor, sei que tenho algumas cáries e um pouco de sangramento nas gengivas, mas que tal começar o meu tratamento pelo clareamento?

Minha resposta é simples: – ” Nada contra o clareamento, apenas acho que as coisas mais importantes devem estar na frente das menos importantes. Como profissional de saúde prezo pela ausência de problemas bucais prévios, para daí buscarmos o branco dos dentes – com segurança. Nenhum engenheiro começa a construção de uma casa pelo acabamento, sem dúvida mais bonito do que o toda a estrutura de alicerce – que deve ser construída primeiro”…

A higiene bucal é o primeiro fator a ser considerado para os interessados no sucesso com as técnicas de clareamento. Caso contrário, as técnicas clareadoras não serão capazes de atingir os dentes com a eficiência necessária…Pense nisso!

Por Dr. Rodrigo Bueno de Moraes

Publicações recentes