Da gengiva ao trato genito-urinário – uma via de mão dupla que pode atingir o bebê

 em Público em geral

É de domínio público que a vaginose bacteriana é uma doença muito comum em mulheres, especialmente na fase de vida sexual ativa.

Os sintomas mais freqüentes são corrimento e mau cheiro, mas, em uma parte das mulheres, é assintomática, sendo detectada apenas com exames ginecológicos.

Para as gestantes, ela surge com possíveis repercussões a integridade da unidade feto-placentária, aumentando os riscos para as prematuridades e outras complicações pré – puberes.

Um estudo do Journal of Periodontology, fez um cruzamento dos microorganismos oriundos dos quadros periodontais e da cavidade bucal, com os associados a esse problema da ginecologia e obstetrícia.

Os resultados apontaram para uma indesejada “relação de trocas” entre bocas e tratos genitais, mal cuidados.  Os autores cogitam que isso possa significar um possível fator de cooperação para complicações na gravidez.

A dica é simples: capriche nos cuidados e na higiene íntima pessoal. Lembre-se que a boca faz parte desse jogo!

Fonte: http://www.joponline.org/doi/abs/10.1902/annals.1998.3.1.222

Publicações recentes