Diabetes e boca seca: entenda essa relação

 em Boca seca

É comum que pessoas diabéticas apresentem baixa produção de saliva, uma condição conhecida como xerostomia ou boca seca. Além da falta de umidade oral, os sintomas da boca seca incluem inflamação da gengiva, infecção por fungos, mau hálito e irritação nos cantos da boca.

A falta de saliva pode ainda dificultar a ingestão da comida, já que ela é responsável por quebrar as moléculas dos alimentos em tamanhos menores, auxiliando no seu transporte até o esôfago.

Continue acompanhando o post de hoje e saiba mais sobre essa relação:

Diabetes x boca seca

As principais razões para o aparecimento do problema são as reações adversas dos medicamentos utilizados para controlar a doença e a alta concentração de açúcar na corrente sanguínea, quando a diabetes não está bem controlada ou sem tratamento, dificultando o correto funcionamento das glândulas salivares.

Veja abaixo algumas dicas para que os pacientes diabéticos consigam superar a boca seca:

Manter a hidratação contínua

Um dos sintomas mais comuns do diabetes é o aumento da produção de urina, conhecida como poliúria. Nessa condição, o organismo excreta mais de 2,5 litros de urina por dia. Considerando que uma pessoa adulta ingere — ou deveria ingerir —, em média, dois litros de água diariamente, é possível perceber como esse volume é excessivo.

Com essa produção irregular há uma desidratação do corpo, com reflexos diretos na produção da saliva, causando a boca seca. Por isso, é muito importante que o paciente diabético mantenha uma hidratação regular, aumentando o consumo diário de água.

Além de aliviar a sensação de boca seca, os riscos de infecções bucais causadas pela falta de saliva serão reduzidos.

Evitar bebidas açucaradas

Além dos riscos já conhecidos do açúcar para o paciente com diabetes, as bebidas açucaradas também têm efeitos negativos na saúde da boca, já que elas aumentam a desidratação oral, deixando a região mais suscetível a infecções.

É importante ainda lembrar que o açúcar é quebrado por bactérias presentes na boca, que, nesse processo, liberam um ácido que desgasta o esmalte dos dentes e os deixa mais propensos a ter cáries. Com menos saliva para ajudar no trabalho de limpeza, maiores são as chances de surgirem problemas de saúde bucal.

Utilizar enxaguantes bucais não alcoólicos

A saliva tem uma função importante de manter as estruturas da boca longe de infecções. Diante da boca seca, a recomendação é que as pessoas diabéticas escovem os dentes após cada refeição e não apenas duas ou três vezes por dia.

O uso de enxaguantes bucais também é recomendado. Porém, é preciso optar pelos produtos livres de álcool, já que a substância tende a causar o ressecamento das mucosas, agravando o problema.

Usar hidratantes labiais

A boca seca também atinge a hidratação dos lábios e pode causar rachaduras e ressecamento. O uso de hidrante ou pomada labial aliviam os sintomas e evitam ferimentos, que também podem ser fontes de outras infecções.

Saliva artificial pode ser aliada no controle da boca seca

Nos casos mais extremos, o médico pode prescrever a saliva artificial em spray ou na formulação líquida. Também poderá ser prescrito medicamento específico para estimular a produção da saliva e aliviar a boca seca.

Ainda tem dúvidas sobre a boca seca em pacientes diabéticos? Deixe seu comentário!

gel_post

Publicações recentes
Showing 3 comments
  • Saúde Encima
    Responder

    Olá, gostei do artigo. É bem fundamentado e com excelentes dicas. Espero ter outros com essa qualidade.

  • Lucas Nogueira
    Responder

    quem tem diabetes realmente devem ter muito cuidado com o seu corpo!!!

Deixe um comentário