Doenças Bucais Descamativas e a sua repercussão para a qualidade de vida

 In Público em geral

Recentemente foi publicada no blog ?Odontodivas? uma matéria que sensibilizou toda a equipe do ADORO SORRIR, com o relato de um caso clínico de uma paciente portadora de doença bucal descamativa, a epidermólise bolhosa: http://dente.me/vq2RoL

De acordo com o clássico Manual Merk, uma das formas mais frequentes de manifestação dessas descamações dolorosas é a da gengivite descamativa.

A gengivite descamativa é um processo pouco conhecido e doloroso que afeta, com relativa frequência, as mulheres na pós-menopausa. Essa situação faz com que as camadas externas das gengivas (epitélio e tecido de conexão) separam-se do tecido subjacente (conjuntivo), deixando descobertas as terminações nervosas e outras partes dessa porção mais íntima da gengiva.

Apesar do possível aspecto de integridade, em um primeiro contato visual, em geral, as gengivas tornam-se tão frágeis, que as suas camadas mais superiores podem desprender ao esfregá-las, com um algodão ou com o estímulo de ar de uma seringa odontológica.

Em geral, essas ocorrências podem se associar com algumas doenças autoimunes (caso do líquen plano, do pênfigo ou penfigóide) ou com estímulos que provoquem irritação do local (exemplo, alguma condição alérgena).

Esses surtos podem ser mais ou menos perceptíveis ao olho humano, conforme o momento e a fase em que se tornam mais perceptíveis ao paciente.

Não há cura para doenças autoimunes, embora existam tratamentos que melhorem as condições de saúde e de vida dos submetidos a esses quadros.

Sem dúvida a terapia bucal, como para qualquer outra ocorrência descamativa do corpo, relacionada com esses diagnósticos é paliativa e visa diminuir reduzir o desconforto, o tempo de convívio com a situação e, também, aprofundar a distância nos intervalos de agudização dessas ocorrências.

A orientação de higiene bucal, para essa circunstância, é um fator determinante ao conforto desses casos, visto que esses pacientes sofrem bastante ao contatarem a escova e o dentifrício contra essas áreas descamadas das gengivas e da mucosa bucal.

Recomenda-se a utilização de escovas de grande suavidade nas cerdas, ultra macias, caso dos modelos gentle care e special care, por exemplo, associadas a cremes dentais de pouca ou nenhuma abrasividade ou desprovidos de grande concentração de detergentes.

Além disso, é importante conhecer bem a história e o perfil do paciente para avaliar o impacto das recomendações e das propostas de terapia para esses casos.

Recent Posts