Entenda mais sobre a musicoterapia no consultório odontológico

 em Para Dentistas, Profissionais da saúde, Público em geral

Você já ouviu alguém dizer que não gosta de música? Não é à toa que essas pessoas são tão raras: assim como as cores e os aromas, os sons estão constantemente preenchendo as nossas vidas, e têm o poder de causar sensações agradáveis ou desagradáveis.

E assim como no caso da aromaterapia e da cromoterapia, o uso da música a fim de promover o equilíbrio físico, mental e emocional dos pacientes nas mais diversas situações é uma prática cada vez mais comum. Portanto, a musicoterapia também pode ser aplicada no consultório odontológico. Mas quais são suas funções dentro do consultório? Continue lendo e entenda melhor!

O que é a musicoterapia?

A musicoterapia é um tipo de tratamento complementar à medicina tradicional, que visa a atender a necessidades físicas e psicológicas de um indivíduo por meio da música. Essas necessidades podem estar relacionadas a estresse, ansiedade, depressão e dificuldades motoras ou cognitivas.

O profissional responsável por identificar as soluções possíveis para cada caso é o musicoterapeuta: ele deve selecionar ou mesmo executar as faixas que, por causa de seus arranjos melódicos harmônicos e rítmicos, pelo timbre dos instrumentos e pelas palavras que serão cantadas, criarão os efeitos desejados no paciente.

Quais são seus usos no consultório odontológico?

Uma das funções da musicoterapia depende da propriedade anestésica e analgésica de alguns sons. Ritmos suaves, comuns na música clássica e mesmo em alguns tipos de música eletrônica, acalmam os nervos e relaxam a musculatura das pessoas, facilitando processos que podem envolver dor, como canais e extrações.

Por outro lado, a musicoterapia ativa — a mais comum, na qual o paciente acompanha o terapeuta com a voz, com palmas e até com instrumentos — geralmente é inviável para os consultórios odontológicos. Além disso, ritmos mais ativos ou mais fortes, como o samba e o metal, devem ser evitados nesses ambientes, por provocarem efeitos contrários aos pretendidos.

Como usar a musicoterapia no consultório?

A musicoterapia é muito mais fácil de ser aplicada no consultório odontológico do que em um hospital, por exemplo. Afinal, as demandas dos dentistas em relação ao bem-estar dos seus pacientes são quase sempre muito mais simples. Isso faz com que, na maioria das vezes, uma trilha de fundo bem planejada seja o suficiente.

Ainda assim, é muito importante buscar o auxílio de um profissional. É o musicoterapeuta que saberá exatamente que músicas escolher e qual o volume ideal para reproduzi-las. Tentar aplicar conhecimentos, por mais simples que sejam, sem a experiência necessária para isso pode acabar atrapalhando em vez de ajudar.

Por causa do grande aumento de popularidade que a musicoterapia teve nos últimos anos, ela pode até parecer uma moda recente, mas ela envolve métodos que vêm sendo aprimorados desde o início da história humana. Por isso, não há motivo algum para duvidar da sua eficácia — assim como não há motivo para ignorar a necessidade de recorrer a alguém que domine esses métodos!

E você, acha que os benefícios fazem o investimento valer a pena? Já que estamos falando de bem-estar, aproveite para ler também sobre problemas que o estresse pode causar à saúde bucal!

Publicações recentes

Deixe um comentário