Erros mais comuns na prática da higiene bucal.

 em Público em geral

Recentemente, um blog americano apresentou alguns dos erros mais comuns na prática dos cuidados bucais diários.

Ao refletir sobre o tema, obtivemos uma lista de alguns destes erros:

1) Deixar o fio dental e/ou escova interdental para depois:

A dica é começar a higiene bucal pelo fio e/ou escova interdental, para só seguir com as escovas comuns na sequência. Atuando dessa forma é mais provável que as pessoas consigam evitar as doenças bucais de forma mais completa e eficaz, pois não se esquecerão da higiene com as escovas comuns a seguir.

2) Manter o uso de escovas com cerdas estragadas:

O Ministério da Saúde recomenda a troca a cada 3 meses das escovas comuns, os profissionais de odontologia preferem que elas ocorram a cada +/- 30 a 45 dias. O detalhe importante é que a média de trocas das escovas dos brasileiros de acordo a ABIPECH gira em torno de uma vez ao ano, o que seguramente faz com que se escove com cerdas tortas, sem flexibilidade e bastante contaminadas durante boa parte do tempo.

Para direcionar esse tema recomendamos que:

– A escovas interdentais sejam trocadas a cada 5 dias, daí o modelo sueco dispor de oito unidades e atender o prazo de recomendação dos dentistas.

– As escovas comuns a cada 45 dias, preferencialmente.

3) Valorizar a pasta e o bochecho mais do que as escovas:

Foi o que fez a presidente Dilma quando anunciou a redução de impostos federais na cesta básica, por exemplo. Naquele momento valorizou a pasta de dente como ítem de primeira necessidade, esquecendo que esta sem a escova e o fio dental não traz nenhum grande benefício à saúde e higiene.

4) Escolher as escovas pela aparência de beleza ou “desenho arrojado”:

As técnicas de escovação recomendam escovas de cabeça anatômica, cerdas de recorte em mesma altura, pontas arredondadas e preferencialmente três ou mais fileiras de cerdas distribuídas no sentido do comprimento da cabeça da escova e de consistência macia ou até mais tênue do que isso.

Cerdas massageadoras de borracha, cabeças grandes e desenhos arrojados com variações na altura do desenho não atendem a necessidade do que as principais técnicas e necessidades de higiene da boca solicitam para serem praticadas.

Agora a palavra é do nosso leitor!

Você tem alguma crítica, ponderação ou sugestão de algo que ficou faltando nessa seleção?

Publicações recentes

Deixe um comentário