Escova compartilhada, Urgh!

 em Público em geral

Um blog norte americano sobre comportamento, fez uma avaliação muito interessante da opinião de pessoas, aleatoriamente entrevistadas nas ruas de Los Angeles e Chicago – nos EUA.

A única pergunta do questionário criou uma polêmica interessante:

“Imagine que essa é a primeira vez que você passa uma noite com a pessoa da sua vida e você lembra que não tem a sua escova de dentes, pois está na casa do(a) parceiro(a). Você usaria a dele(a)?

Homens

Total – 28 (além de um que não respondeu )
Não – 18
Sim –  06
Talvez – 04

Mulheres

Total – 22
Não – 15
Sim –   04
Talvez – 03

A questão sobre a conveniência de compartilhar objetos de higiene bucal foi tema de diversas discussões da comunidade científica da odontologia, em geral condenando essa prática. Em 2006, Grigolleto e colaboradores publicaram um texto científico sobre o tema na Revista de Odontologia da UNESP(no.35(2): páginas 175-18),1 avaliando as consequências a que estão sujeitos os que atuam dessa forma.

No texto, os autores comentaram que a escovação dental representa uma das medidas de higiene mais utilizadas pelas diversas populações do mundo. Lembraram que, apesar disso, as escovas podem ser responsáveis pela transmissão de doenças infecciosas e parasitárias,especialmente se compartilhadas.

A intenção dos autores do estudo citado foi a de verificar os hábitos de higiene bucal e a utilização de escova(s) dental(is) compartilhada(s). Eles entrevistaram  336 crianças de ambos os sexos para descobrir que 98,8% relataram usar a escova dental. Já a utilização diária do creme dental foi referida por 99,1%. Apenas 70,8% escovavam os dentes diariamente.

Como forma de complemento da higiene, bucal 32,7% das crianças relataram que utilizavam o fio dental, sendo que apenas 9,2% utilizavam o fio dental diariamente ( justificando a grande dificuldade que as pessoas mostram para incluir essa importante etapa de higiene dos espaços interdentários na rotina de vida).

Também notaram que 2,7% daquelas crianças relataram o uso compartilhado das escovas dentárias, com outros membros da família.

Na conclusão, alertaram que as autoridades de saúde e a comunidade da odontologia deveriam se preocupar com os riscos avaliados nesses achados, para estimular a criação de hábitos de higiene bucal mais adaptados ao conceito da promoção de saúde, com segurança e bem estar…

Pelo jeito, a população americana também precisa desse toque…

Fonte: http://blog.badonlinedates.com

Publicações recentes