Escova de dentes: qualquer uma serve?

 In Profissionais da saúde, Público em geral

Que uma boa higiene oral é de extrema importância não só para a saúde dental, mas para o bem-estar em geral todo mundo já sabe, não é mesmo? As doenças periodontais são um fator de risco para o desenvolvimento de problemas graves, como patologias cardíacas e diabetes.

E um dos elementos fundamentais da higiene oral é a escova de dentes. A cada dia, surge um modelo diferente, que promete melhorar a experiência da escovação e tornar a limpeza da boca mais eficiente. Existem diferentes opções nas prateleiras, incluindo manuais e elétricas, de acordo com o formato da cabeça e tipos de cerdas.

Diante de tantos tipos e tamanhos, qual a melhor escova de dentes? A seguir, separamos o que você deve considerar na hora de escolher a sua.

Os diferentes tamanhos

As cabeças das escovas (aquela parte de cima) variam de acordo com o tamanho – grandes ou pequenas. Embora existam disponíveis escovas com cabeças maiores, os especialistas concordam que são preferíveis as escovas pequenas, uma vez que elas alcançam todas as partes da boca, incluindo os dentes posteriores.

Cerdas macias ou duras?

Uma grande variação de cerdas também está disponível no mercado – elas podem ser duras, médias, extra macias e macias. Para a maioria das pessoas, as cerdas macias são a escolha mais confortável, pois as  duras podem danificar a gengiva e o esmalte protetor dos dentes. Além disso, boa parte dos profissionais da área odontológica afirma que as escovas de cerdas macias são as melhores para remover a placa bacteriana e os restos de comida dos dentes.

Você possui sensibilidade na gengiva? Então a melhor opção para evitar os sangramentos são as cerdas extramacias com pontas arredondadas, que protegem toda a área durante a escovação. Atualmente, as escovas com cerdas duras dificilmente são recomendadas, pois causam diversos danos à gengiva.

Para complementar a sua escovação

Além dos principais tipos de escovas, existem algumas que foram especialmente projetadas para completar a sua escovação (além do famoso fio dental). Elas são classificadas em interdentais ou proximais.

Se você usou aparelho ortodôntico, já deve conhecer ou ter ouvido falar das escovas interdentais ou proximais – geralmente são menores, para alcançar os resíduos que ficam nos cantos dos dentes. Elas possuem uma variedade de cores e tamanhos, onde as cabeças pequenas ficam entre os dentes e removem as partículas de alimentos e placas bacterianas.

No fim, a melhor escova é aquela que você se sente confortável. Por isso, é importante testar alguns tipos até encontrar aquele que você se adapta melhor. É importante ressaltar que, independentemente do modelo da escova, ela deve ser trocada no mínimo de três em três meses. Não importa o tipo das cerdas ou o formato das cabeça; em alguns meses, as cerdas apresentarão algum desgaste devido ao seu uso diário.

E você, qual foi a última vez que trocou de escova? Qual tipo é o seu preferido? Conte pra gente nos comentários!

 

Recent Posts

Leave a Comment