Escova Interdental: Parceira do diagnóstico e no tratamento da doença periodontal.

 em Profissionais da saúde

Essa novidade vai animar dentistas, pacientes e profissionais de saúde de todos os segmentos. Um novo estudo publicado pelo International Journal of Dental Hygiene, elaborado por profissionais de uma clínica da Suíça, mostra que as escovas interdentais funcionariam para o exame clínico de aferição dos índices de sangramento periodontal, de forma bastante similar ao obtido pelas tradicionais sondas periodontais, utilizadas pelos dentistas para o exame bucal.

Baseado nesses achados podemos concluir que a escova interdental, além de funcionar como um método superior para a higiene dos espaços entre dentes, também permitiria que:

a) Os pacientes tenham uma constante noção sobre a presença, ou ausência, de indicativos da doença periodontal.

Ou seja, no caso de um paciente perceber um sangramento gengival persistente, durante as passagens da escova interdental prescrita pelo dentista, poderia diminuir o prazo de intervalo para o retorno ao consultório dentário, uma vez que existe o claro sinal de um problema da boca que recomenda a avaliação do dentista.

b) Ferramenta de pré – diagnóstico a outros profissionais de saúde que se relacionam com os pacientes.

Médicos, enfermeiras, nutricionistas e outros profissionais de saúde – devidamente orientados sobre o manuseio dessas escovas para a higiene entre os dentes, teriam uma ferramenta bem mais proveitosa ao pré – diagnóstico e ao encaminhamento de seus pacientes para a necessária consulta odontológica. Finalmente a espátula de madeira, regularmente utilizada para o afastamento labial e inspeção bucal superficial, ganhou um parceiro importante ao pré-diagnóstico que recomende o encaminhamento ao tratamento com o cirurgião-dentista.

c) Enriquecimento da ilustração sobre a doença periodontal ao paciente.

Qualquer profissional de saúde, incluindo o dentista, poderia mostrar o sangramento gengival pela passagem da escova interdental (de calibre compatível com o espaço entre dentes) e orientar o paciente sobre a existência de um claro processo inflamatório gengival instalado. Com isso vai pelo ar o “mito absurdo”, que muitos pacientes criaram, o de que a culpa pelo sangramento é da escova ou do fio dental.

Ainda hoje, muitas pessoas acreditam que “se sangra quando uso a interdental e/ou o fio dental, devo parar de usar até que a gengiva cicatrize e eu possa retomar aquela higiene do espaço entre dentes”…

É importante reforçar que isso não significa o fim das sondas periodontais milimetradas. Elas continuam fundamentais ao exame clínico odontológico, uma vez que servem para a avaliação do sangramento gengival e para a mensuração dos níveis de inserção periodontal, comprometidos por eventuais problemas periodontais que afetem todo e qualquer paciente.

Importante salientar o fato de que é extremamente importante a utilização do calibre adequado da escova interdental, mais um argumento irrefutável para a utilização das escovas interdentais TePe dada a sua variedade de tamanhos.

Acesse o link e confira o resumo do estudo:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21356022

Publicações recentes