Flúor na escovação das crianças.

 em Profissionais da saúde

Bom senso, educação e atitude. É o resumo do grande fórum de discussão sobre o tema proposto na matéria de capa da revista da APCD – no.66 v.1 / Jan – Mar 12.

O texto desmistifica a informação sobre o uso de cremes dentais fluoretados por crianças. Na visão de grande parte dos profissionais entrevistados, as crianças devem entrar em contato com cremes dentais fluoretados a 1000ppm desde o surgimento dos dentes nas arcadas. Aos 6 anos migrariam para os de concentração de 1.500ppm para melhorar as chances de prevenção da cárie.

O cuidado é realizar a higiene com pastas fluoretadas, pelo menos 2 x ao dia, preferencialmente pela manhã e à noite. Para crianças até os 3 anos é importante “sujar a escova com um pouquinho de pasta fluoretada” ou colocar o equivalente a ” um grão de arroz”.

Assim que o desenvolvimento permitir estimule-os a cuspir os excessos da pasta e aumente a quantidade um pouco mais, para algo como um “grão de ervilha”. Isso é suficiente para atender a demanda das crianças em todas as faixas etárias.

Na visão do Prof. Dr. Jaime Cury isso contrapõe-se ao conceito, ainda vigente, da Academia Européia de Odontopediatria que insiste na fluoretação gradual dos cremes dentais – conforme a idade da criança evoluí.

Ele lembra que em uma das recentes revisões sistemáticas do tema, publicada por Walsh et al. ( 2010), não houve comprovação dos efeitos dos cremes dentais abaixo de 1000 ppm na redução dos riscos de cárie para crianças.

Assim, equilibrando riscos e benefícios, a estratégia que descrevemos atenderia melhor as demandas da prevenção da cárie dentária para a criançada, conforme apontamentos do fórum publicado pelo periódico da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas.

Publicações recentes