Higiene bucal é muito importante para as pessoas na 3ª idade.

 em Público em geral

Saúde bucal ao alcance dos idosos – basta disporem de educação e de recursos adequados para a higiene bucal.

Ensaio clínico randomizado e duplo-cego sobre a orientação para medidas mecânicas ou antibacterianas de higiene bucal.

Adaptado de Ulrich Schiffner*, Mathias Bahr e Effenberger Susanne
J Clin Periodontol 2007; 34: 1068-1073

Resumo:

O objetivo deste trabalho foi o de estudar o resultado da intensificação da higiene bucal mecânica e comparar essa atitude com o efeito de um enxaguatório bucal antibacteriano coadjuvante ao controle de placa e da gengivite em idosos.

Material e Métodos: O protocolo de investigação incluiu um estudo randomizado, duplo-cego, com 6 meses de estudo clínico controlado. A amostra foi composta por 106 pacientes, de 55 anos ou mais de idade, divididos em quatro grupos: (I) Os participantes foram orientados para aprimorar a higiene bucal mecânica,incluindo a higiene interdental com escovas interdentais; (II) indivíduos utilizaram um enxaguatório bucal antibacteriano contendo amina e fluoreto estanhoso como complemento de suas habituais práticas de higiene bucal, (III), Aprimoraram as medidas mecânicas de higiene bucal (idem grupo I) e incluíram o uso dos coadjuvantes antibacterianos em solução (forma combinada) e (IV) um grupo controle com nenhum regime ou orientação específica. A ocorrência de gengivite e a presença de placa bacteriana (ou biofime), foram examinados para a devida aferição das diferenças entre os grupos investigados .

Resultados: Após 6 meses, tanto os escores de placa bacteriana, como os de gengivite foram significativamente menores do que no começo da investigação. A redução dos níveis de gengivite diferiu significativamente entre o grupo controle e todos os outros grupos considerados. Apenas os grupos com a higiene bucal mecânica melhorada (I e III – devido a inclusão de escovas comuns adequadas e das interdentais) mostraram melhorias significativas na capacidade de remoção da placa bacteriana, em comparação com o grupo controle (IV) ou com os integrantes do grupo II.

Conclusões: A intensificação da higiene bucal mecânica, através de instrução direta e da adoção de recursos eficazes, como as escovas comuns e as escovas interdentais preconizadas, resultou em maior redução de placa bacteriana do que a combinação de um bochecho antibacteriano que se somava aos procedimentos usuais de higiene bucal dos investigados. Apesar disso todos os procedimentos testados conduziram a algum nível de redução dos surtos de gengivite previamente considerados.

Os autores declaram não haver conflito de interesses.

O estudo foi auto-sustentado, mas a TePe Comp, Malmö (Suécia), cedeu as escovas de dentes e as escovas inter-dentais e a Gaba Comp., Lörrach (Alemanha), forneceu gratuitamente Meridol® para o enxágüe bucal recomendado neste estudo. O protocolo do estudo foi elaborado pelo investigador principal.

* Estudo feito pelos pesquisadores do Departamento de Dentística e Odontologia Preventiva da Universidade de Hamburgo, Hamburgo, Alemanha

Prof. Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes
Cirurgião-Dentista | Mestre em Odontologia pela Universidade Paulista | Membro da Sociedade Brasileira de Periodontia e da American Academy of Periodontology.

Publicações recentes