Má oclusão: como a amamentação materna pode evitar esse problema?

 em Para seus filhos

A formação de uma dentição saudável se inicia bem cedo, ainda nos primeiros meses de vida da criança. Ter um alinhamento correto, harmonioso e funcional dos dentes é importante não apenas para a estética, mas também para evitar problemas de saúde bucal, como o bruxismo, dores nas articulações da face, entre outros.

Neste post, vamos explicar o que é a má oclusão, suas principais causas e efeitos e tratamentos disponíveis. Você também vai saber como a amamentação é fundamental para prevenir a má oclusão em crianças.

O que é a má oclusão?

A oclusão é a relação da mordida entre os dentes da arcada superior e inferior da boca. Uma boa inclusão é aquela em que os dentes da mandíbula e do maxilar se alinham de forma harmônica — estando estáticos ou em movimento, durante a fala e a mastigação, por exemplo.

Quando há um desencontro dessas duas estruturas fala-se que a pessoa tem uma má oclusão. Esse problema pode se apresentar em diferentes níveis e ser perceptível na estrutura facial do paciente.

Para algumas pessoas ele não trará nenhum desconforto, mas outras vão precisar de tratamento para corrigir a mordida e melhorar a funcionalidade da boca. Problemas de má oclusão causam dores articulares durante a mastigação ou ao abrir a boca, além de poderem gerar desgaste e até mesmo perda dos dentes.

Tipos de má oclusão

A má inclusão pode ocorrer nos seguintes níveis:

  • classe II: quando o maxilar (osso que sustenta os dentes superiores) avança sobre a mandíbula;
  • classe III: a mandíbula fica na frente do maxilar;
  • mordida cruzada: quando a mandíbula cobre parte da maxila;
  • mordida profunda: a maxila cobre grande parte da mandíbula;
  • mordida aberta: os dentes superiores e inferiores não se tocam;
  • apinhamento: que é a falta de espaço para o nascimento dos dentes permanentes.

Causas da má oclusão

Fator genético é a causa de cerca de 40% dos problemas de oclusão. Os demais 60% estão relacionados a fatores ambientais, como hábitos bucais (chupar o dedo e usar chupetas, por exemplo), problemas respiratórios que fazem com o que a criança respire pela boca, perda precoce de dentes, etc.

A má inclusão não se corrige sozinha e se uma criança apresenta o problema ainda com os dentes de leite, ele vai permanecer na troca para os dentes permanentes. Por isso, é importante que um dentista avalie o quanto antes a necessidade de intervenção.

Tratamento para má oclusão

Em geral, o tratamento para má oclusão é feito com o uso de aparelhos ortodônticos para corrigir o alinhamento dos dentes. Em casos mais graves, em que o deslocamento é muito grande, pode ser necessário corrigir a falha por meio de uma cirurgia.

Como o aleitamento materno previne a má oclusão

O ato de sugar o seio materno desenvolve e fortalece a estrutura bucal do bebê. É um exercício em que a criança trabalha a respiração nasal, já que a boca está vedada, e há um correto posicionamento da língua em um movimento ativo das articulações. Todo esse trabalho muscular corrige a distoclusão fisiológica, que é uma característica comum a todo bebê e que se caracteriza pelo queixo nascer bem retraído em relação à maxila.

Pesquisa da Universidade de Adelaide, na Austrália, demonstrou que a amamentação exclusiva dos três aos seis meses de idade tinha efeitos muito benéficos sobre a oclusão infantil durante a dentição primária. O estudo mostrou que as crianças que foram amamentadas tiveram 33% menos incidência de mordida aberta que as que não mamaram no peito.

A amamentação é o primeiro exercício fonoaudiólogo da criança, ajuda no desenvolvimento da face, além de ser um importante treinamento muscular para a mastigação.

Ainda ficou com alguma dúvida sobre a má oclusão? Deixe seu comentário!

Publicações recentes

Deixe um comentário