Ministério da saúde prorroga prazo para vacinação contra gripe H1N1.

 In Profissionais da saúde

Quem perdeu o prazo terá a até o dia 7 de maio para se vacinar.

O Ministério da Saúde prorrogou até o dia 7 de maio o prazo para vacinação dos grupos que já estiveram em outras fases da campanha de combate ao vírus Influenza A (H1N1). De acordo com o MS, já foram vacinadas 36,9 milhões de pessoas contra a doença.

Com a prorrogação, gestantes, pessoas com doenças crônicas, crianças de seis meses a dois anos e jovens de 20 a 29 anos têm mais um período para tomar a vacina. Pessoas idosas com doenças crônicas também podem tomar o medicamento contra a nova gripe até esta data.

O ministério considera positiva a adesão à campanha de vacinação. Segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, 60% da meta já foi atingida até agora. A expectativa é de imunizar 80% da população até o fim da campanha (cerca de 90 milhões de pessoas).

Comentário do blogueiro:

Algumas discriminações descabidas, como a não inclusão dos dentistas e de outros profissionais vinculados ao segmento no grupo de profissionais de saúde que seriam imunizados e as dúvidas levantadas sobre a segurança da vacina – em uma série de notícias disseminadas, principalmente, pela internet, comprometeram o amplo sucesso dessa importante campanha de prevenção contra a gripe causada por esse vírus.

Agora o governo corre atrás dos prejuízos causados pelos erros estratégicos do seu processo de seleção dos participantes da campanha de imunização contra o vírus da gripe suína (H1N1).

Sob o ponto de vista da saúde deve ficar claro que:

– Os fundamentos científicos que embasam essa imunização são consistentes e justificam a campanha de vacinação.

– Ao invés de falar sobre temas menores como – “Precisamos fazer mais sexo e se divertir mais”, reproduzindo o histórico conceito do: – “De pão e circo para o povo e eles ficarão satisfeitos” – o ministro da saúde deveria se ocupar com temas mais importantes. Proponho que defina, por exemplo, o que é um profissional de saúde e quais as categorias que se enquadram nesse conceito. Pela campanha de imunização dentistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, educadores físicos, entre outros, NÃO FAZEM PARTE DESSE SELETO GRUPO na visão do ministro.

– Que as entidades de classe dessas respectivas categorias ( as discriminadas pela campanha), fiquem mais atentas as decisões produzidas pelos órgãos de saúde que fomentam essas campanhas de imunização.

Fonte: www.globo.com

Recent Posts