O que seu paciente precisa saber na hora de fazer um tratamento de canal

 In Para Dentistas, Profissionais da saúde, Público em geral

Um dos tratamentos mais temidos pelos pacientes, porém também mais comuns em consultórios odontológicos é o tratamento de canal. Apesar de parecer complexo, todo dentista sabe que, quando realizado com o material correto e com um profissional capacitado nessa prática, o tratamento de canal não costuma trazer grandes complicações. O problema, no entanto, é que o paciente nem sempre sabe disso.

Por isso, a fim de te ajudar a tranquilizar seu cliente, elaboramos um texto com dicas para tirar dúvidas simples que podem surgir no momento da aplicação dessa técnica. Acompanhe-nos:

Ensine-o a identificar os sintomas de um quadro de canal

Antes de partir para o tratamento de canal, é preciso que o paciente esteja seguro de que esse é realmente o seu problema. Para isso, exponha os sintomas desse quadro para que ele mesmo se identifique e entenda que o procedimento é necessário.

O sintoma mais tradicional é a dor espontânea do dente, sem nenhum tipo de estímulo como choque, alimentos frios ou doces. Se esse sintoma for resolvido com um analgésico, mas volta a aparecer após o efeito da medicação, isso pode ser um sinal de polpa inflamada. A dor de dente com estímulos ou após a movimentação da cabeça também podem ser sinais fortes da presença do canal.

Explique em que consiste o tratamento de canal

O primeiro passo que o paciente precisa entender para o tratamento de canal é que ele só pode ser realizado por um endodontista, que é o especialista nessa área, não sendo indicado realizar a técnica com um profissional mais clínico.

A seguir, a maneira mais simples de explicar o procedimento é relatar que você vai realizar uma remoção da polpa do dente, o tecido que se encontra na parte interna e que está infectado. Informe também que, durante o mesmo procedimento, a polpa é substituída por um material biocompatível, isto é, que não vai gerar reações imunológicas na boca, fechando o espaço aberto no dente para a retirada da infecção. Explique que o processo pode ser um pouco doloroso até a hora da aplicação da anestesia, mas que não existe desconforto algum após esse ponto.

Para os pacientes mais inseguros, que têm medo de ficar sem a coroa do dente, deixe claro que, nesses casos mais invasivos, é possível colocar uma coroa artificial no lugar, sem prejuízo das funções da arcada.

Um dente tratado pode passar por um novo procedimento de canal

Para os pacientes que são um pouco menos atenciosos com a qualidade da higienização bucal, é importante chamar a atenção para os cuidados com o dente tratado após o canal. Não é porque ele não tem mais polpa que ele não sofrerá as consequências de uma nova inflamação. Deixe claro que o canal pode ressurgir no dente tratado em duas situações:

  • A primeira, relacionada à técnica odontológica, é a incapacidade de remover toda a infecção identificada no primeiro tratamento, ocasionando lesões na raiz;
  • e a segunda ocorre pela falta de cuidado de higiene com o dente tratado, especialmente se foi preservada a estrutura natural do dente ao invés da colocação de uma prótese.

Por esses motivos, explique ao paciente que os dentes de canal devem ser higienizados frequentemente e acompanhados por um dentista de confiança.

Reforce os sintomas de um canal não tratado

O paciente precisa entender que o canal nada mais é do que um quadro clínico infeccioso como outro qualquer no organismo. Infecções que não são tratadas podem crescer e infectar outras regiões próximas, além de aumentar o risco de se espalhar pela corrente sanguínea e causar quadros ainda mais graves.

O canal não tratado vai se manifestar, em um primeiro momento, como uma lesão na raiz e nos tecidos vizinhos, aumentando a dor na região. Depois, o inchaço, a vermelhidão, a febre e a bacteremia são consequência.

Esclareça ainda que a única solução de tratamento para um canal que se complicou é a remoção do dente e a utilização de antibióticos para combater as outras infecções espalhadas pelo corpo, o que pode ser completamente evitável se o indivíduo respeitar os primeiros sintomas do quadro e buscar o tratamento com um endodontista o quanto antes.

O tratamento de canal não traz problemas estéticos para o dente

Muitos pacientes temem fazer tratamentos de canal por acharem que esse procedimento afeta a qualidade estética do dente, deixando-o com aspecto mais escurecido ou artificial. Entretanto, vale ressaltar para eles que a única alteração que acontece em um dente natural é a perda do brilho, deixando-o um pouco mais fosco. Quando é necessário o posicionamento de uma coroa, inclusive, as próteses costumam ser bem semelhantes ao dente real e não apresentar problemas estéticos.

Um paciente tranquilo e esclarecido na cadeira do endodontista é praticamente 50% de garantia de sucesso no procedimento, por isso, converse com o cliente que pode precisar passar por um tratamento de canal e tire todas as suas dúvidas. Se tiver mais sugestões sobre como tranquilizar os pacientes na hora de fazer um tratamento desse tipo, compartilhe-as conosco nos comentários e continue acompanhando nosso blog para aprender a lidar com seus clientes cada vez melhor!

 

Recent Posts

Leave a Comment