Odontologia, de A a Z, para gestantes e bebês.

 In Sem categoria

Uma das maiores autoridades brasileiras no relacionamento do estado bucal com o período de gestação, amamentação e desenvolvimento de uma relação saudável entre mães e bebês é a Dra Maria Christina Brunetti.

Essa renomada cirurgiã – dentista paulistana, é mestre em Periodontia e doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo, autora de inúmeros artigos e capítulos de livros da área médica e odontológica,destacando-se os dois livros que redigiu, o Periodontia Médica, da Editora Senac e o Fundamentos de Periodontia, da Editora Artes Médicas.

Além disso, é diretora editorial da Revista Dentistry Brasil, selecionando artigos de vários profissionais do Brasil e do mundo, que trazem temas de interesse ao aprimoramento profissional dos leitores deste valioso periódico. Sua experiência clínica na área da periodontia, da prevenção e da atenção básica à saúde são reflexos dos anos de dedicação as nobres causas da nossa profissão.

Não podemos deixar de comentar sobre seu trabalho docente junto ao curso de especialização em periodontia do SENAC e que chegou às terras portuguesas, aonde compartilhou seus ensinamentos com profissionais daquele país.

Temos a imensa satisfação de repartir com os leitores do ADORO SORRIR um pouco dessa vasta experiência, carinho e talento dedicados a nossa profissão por esta profissional, com P maiúsculo.

ADORO SORRIR: Existe risco para  gestantes portadoras de problemas bucais e seus bebês?

Dra.Maria Christina Brunetti: Sim, um grande risco para quem é portador de infecções gengivais. Recentemente a literatura encontrou evidências da provável participação de componentes bacterianos associados à infecção periodontal e/ou de seus produtos bem como de seus mediadores químicos influenciando, reversamente, o nascimento de bebês prematuros de baixo peso corporal.

A doença periodontal, enfermidade de natureza infecciosa associada primariamente à colonização das superfícies dos dentes por bactérias anaeróbicas Gram negativas, apresenta mecanismo biológico com potencial para afetar o desenvolvimento da gestação mesmo com ocorrência à distância.

ADORO SORRIR: Quais os cuidados que os médicos ginecologistas devem ter para a melhor assistência desse tópico perante suas pacientes?

Dra. Maria Christina Brunetti: Ao longo da vida da mulher, várias diferenças específicas do sexo feminino envolvendo a saúde e a doença, podem afetar suas condições bucais. As diversas variações hormonais, além de interferirem no sistema reprodutivo da mulher, exercem forte influência na cavidade bucal. Essa influência é de tal ordem que, de longa data, tem-se aceito a exacerbação das alterações gengivais produzidas durante a gravidez e mais recentemente, evidências da provável participação de componentes bacterianos associados à infecção periodontal com o nascimento de bebês prematuros de baixo peso corporal.

Assim, levando-se em consideração tais peculiaridades e sendo a gravidez um dos estágios da vida da mulher com capacidade de influenciar a sua saúde bucal, assim como um período em que os cuidados com a saúde materna e a educação da paciente têm um efeito profundo na sua saúde bucal e na de seu filho, faz-se necessária sim uma coordenação entre profissionais da odontologia e obstetrícia  (com a indicação de cuidados odontológicos  clínicos e ou educativo durante o pré-natal) assegurando, desta forma, uma melhoria na saúde bucal das gestantes e de seus bebês, assim como da saúde da mulher como um todo.

ADORO SORRIR: Comente sobre a sua experiência na implementação de um protocolo odontológico pré-natal para as pacientes que assiste na sua rotina clínica e nos atendimentos que faz ao público que visita a UNIFESP.

Dra. Maria Christina Brunetti: No ambulatório de pré-natal da Disciplina de Obstetrícia da UNIFESP, ocorre semanalmente, desde 2.003, uma reunião multiprofissional, envolvendo médico obstetra, dermatologista, enfermeira obstétrica, psicólogas, fisioterapeutas e eu como dentista, a fim de promover um maior impacto educacional e assistencial às gestantes, uma vez que ocorre maior integração entre diversos profissionais da área de saúde. Pioneiro no Brasil, este atendimento multiprofissional me deu toda bagagem para desenvolver um programa de pré-natal odontológico com atendimento clínico em meu consultório e/ou educativo na minha clínica bem como na clínica de diversos obstetras onde desenvolvemos cursos para gestantes e pais, além de escrever para diversas  newsletter de clínicas  obstétricas  e fazer consultoria.

ADORO SORRIR: A amamentação é um tópico valorizado, na mesma proporção em que é negligenciado por demandas estéticas do mundo moderno – caso de mães que se preocupam em fazer cirurgias plásticas de mama antes mesmo da maternidade e que, por vezes, prejudicam essa fase de lactação. Gostaria de saber sua opinião sobre a lactação e que conselho pode dar as mães nesta fase?

Dra. Maria Christina Brunetti: Amar é fundamental. Amamentar é vital. A mãe que leva a criança ao seio abre as portas do mundo. Por mais que a tecnologia tenha evoluído, seja na preparação ou na adequação dos alimentos, o homem ainda não conseguiu criar um leite para a nutrição do bebê que se aproxime (nem de longe) do leite materno. Isso porque o leite materno começa a ser preparado no corpo da mãe já no início da gestação e vem progressivamente se adaptando para ser o alimento ideal daquele bebê que está em formação. Ele apresenta a concentração ideal de proteínas além de ser de fácil digestão. O açúcar do leite materno é a lactose (e não a sacarose), o que evita a formação de gases, potencial causador das cólicas do recém-nascido. As gorduras do leite materno também são as ideais para o crescimento saudável do bebê e, principalmente, na formação do tecido nervoso, levando a um desenvolvimento neurológico perfeito. Tem alta concentração de anticorpos (agentes capazes de inibir o desenvolvimento de vírus e bactérias), protegendo o bebê de muitas infecções que possam agredi-lo nos seus primeiros anos de vida. No entanto, além de todos os incomensuráveis benefícios já citados do aleitamento materno, o ato da amamentação é o grande momento, o mais especial para formação do vínculo mãe-filho. Talvez seja de fato o maior ato de amor.

ADORO SORRIR: Quais os benefícios bucais e da saúde obtidos com a amamentação?

Dra. Maria Christina Brunetti: Além dos benefícios já citados na resposta acima, do ponto de vista bucal, a amamentação ajuda a corrigir o retrognatismo (queixinho para dentro) que a maioria dos bebês nasce ,além de ajudar no correto desenvolvimento do sistema estomatognático da criança (desenvolvimento oro-facial).

ADORO SORRIR: Sob o ponto de vista da higiene bucal quais as escovas e recursos que prescreve as pacientes gestantes e como vê a importância das escovas interdentais e de tufo único na promoção de saúde bucal ?

Dra. Maria Christina Brunetti: As escovas convencionais são o instrumento mais amplamente utilizado para controle do biofilme. Quando utilizadas isoladamente, podem não conseguir alcançar a totalidade das superfícies dentais. A região interdental (faces laterais dos dentes), por exemplo, não está ao alcance deste recurso e consiste na área onde mais comumente se iniciam/agravam as alterações periodontais.

As escovas dentais convencionais estão disponíveis no mercado em vários tipos, cujas diferenças podem estar tanto na dureza, altura e diâmetro das cerdas, como no número e distribuição de seus tufos, formas das cabeças e angulação de seus cabos. Não existe um consenso comum em relação ao tipo ideal de escova dental.  A indicação de um determinado tipo de escova pelo profissional deve ser baseada na necessidade individual do seu paciente, dentre elas, no caso das gestantes, a ocorrência de náuseas e vômitos. O único aspecto que parece ser unânime entre os profissionais de odontologia é a dureza das cerdas. Escovas macias e extras macias são comumente indicadas e facilmente encontradas no comércio.

Uma alternativa para pacientes que relatam náuseas durante o contato com a escova dental é o emprego de escovas menores, denominadas uni tufo ou de tufo único macias ou extra macias (nota do editor: ex. TePe – Escova sole), circundando o colo dos dentes (dente a dente), sem creme dental e com leve pressão. São constituídas de um único tufo de cerdas naturais ou artificiais, arredondadas ou não, com diâmetro entre 0,15 mm e 0,20 mm, podendo ocorrer em apenas uma extremidade do cabo ou em ambas as pontas.

O controle do biofilme (ou placa bacteriana dentária) nas superfícies laterais dos dentes pode ficar comprometido quando o indivíduo utiliza apenas a escova dental convencional para higienizar sua boca, o que torna a condição gengival destas áreas ruim quando comparada às outras superfícies dentais.  O uso do fio/fita dental, encerado ou não, está indicado para situações clínicas onde os espaços entre os dentes estão preenchidos pelas papilas interdentais. Já as escovas interdentais são indicadas para pacientes em que a papila interdental não preenche totalmente o espaço inter proximal, contrariamente a situação anatômica em que o fio dental é indicado. Constam de uma haste central feita normalmente de metal (em geral, fio de aço), que ao ser torcido aprisiona em seus espirais tufos uniformes de cerdas. Podem ser cônicas ou cilíndricas (nota do editor: ex. TePe – interdental calibres variados ). Podem variar quanto ao comprimento das cerdas, na parte ativa da escova e no diâmetro do fio de metal torcido, que por ser flexível possibilita diversas angulações.

ADORO SORRIR: Quais as suas dicas finais para um sorriso saudável e bonito nas gestantes e nas pessoas em geral?

Dra. Maria Christina Brunetti: A gestação é uma das etapas mais vulneráveis na vida de uma mulher. A mulher enfrenta considerável peso da reprodução biológica relacionado à gestação, parto, puerpério e amamentação e, além disso, se torna o verdadeiro eixo do cuidado com a família. Durante esta fase, a mulher se encontra mais sensível e receptiva à educação e este é, portanto, o momento ideal para a mudança para hábitos saudáveis.

Esta é a ocasião em que se deve mostrar a repercussão dos hábitos dietéticos, pois o ambiente nutricional intrauterino parece ser de especial importância em imprimir no feto, mediante programação metabólica, características que podem levar estas crianças a desenvolver no futuro doenças crônicas; quer seja na privação, ou excessos alimentares, pois nas duas situações ocorre um desequilíbrio na programação fetal.  Este mecanismo de programação fetal é mediado por fatores hormonais e/ou nutricionais.

Esta também é a fase em que se há mais receptividade para a inclusão de hábitos saudáveis, que implicam na redução do estresse e exclusão de hábitos nocivos como o fumo.

Quanto aos cuidados bucais da própria gestante e do futuro bebê, esta é a oportunidade ideal para inseri-los. É sabido que a cárie e a doença periodontal são patologias comuns na gestação. No entanto, esse fato está associado às condições de risco, tais como, a negligência na higienização bucal (principalmente devido às náuseas), a alterações na frequência da dieta, pois a redução progressiva da capacidade volumétrica do estômago durante a gestação conduz à compressão das vísceras abdominais, levando a gestante a ingerir uma menor quantidade de alimentos, porém mais frequentemente. Dessa forma, suas refeições tornam-se hábitos constantes com alimentos que, na maioria das vezes, são cariogênicos. Estes fatores, juntamente com os vômitos e a hiperacidez do meio bucal precisam ser controlados para diminuição do risco. Devemos lembrar ainda que a condição hormonal propicia o aumento da resposta inflamatória da gengiva e a periodontite materna é um fator de risco para partos prematuros.

Finalmente, a educação em relação à importância da amamentação para ela e para o bebê, trazendo para este último, benefícios inestimáveis em relação ao aspecto nutricional, cognitivo e desenvolvimento adequado do sistema estomatognático. Portanto, a educação em saúde é tudo. Só através de hábitos saudáveis podemos sonhar em ter um bom sorriso!

Obrigado a Dra. Brunetti pelos seus ensinamentos; Se você, que é leitor do nosso blog, deseja contatá-la pode fazer através do link de perguntas desse post ou pelo e-mail: mariachristinabrunetti@gmail.com

Recent Posts