Peixe, um alimento para dentes e gengivas saudáveis.

 In Público em geral

Dieta rica em ômega 3 pode ajudar a prevenir a periodontite

Investigadores americanos verificaram que uma dieta rica em ômega 3, presentes em alguns peixes, marisco e frutas secas, por exemplo, pode auxiliar o controle e a prevenção da periodontite, uma doença inflamatória que atinge os tecidos de suporte do dente, a gengiva, o osso e os ligamentos do dente.

Os tratamentos disponíveis para essa doença consistem no combate à infecção bacteriana. ?O tratamento tradicional da doença periodontal tem envolvido principalmente a limpeza dentária e, eventualmente, a associação com antibióticos. Portanto, a terapia dietética, se for eficaz, pode ser mais um método barato e seguro para a sua prevenção e tratamento?, é a opinião de Asghar Naqvi, um dos autores do estudo realizado na Universidade de Harvard.

Além disso, o investigador destaca que ?diante das evidências da ação do ômega 3 nas doenças inflamatórias crônicas – como no caso das doenças periodontais, é possível que a sua ingestão para o tratamento da periodontite tenha o benefício acrescido de prevenir outras doenças crônicas associadas a inflamações?.

Neste estudo estiveram envolvidos nove mil adultos que foram submetidos a exames bucais durante o período desse levantamento. Além disso, responderam aos questionários sobre os seus hábitos alimentares e outros fatores como o estilo de vida e história familiar.

Depois de cruzarem os dados, os investigadores verificaram que ?o consumo de ômega 3 estava inversamente relacionado com a periodontite na população norte-americana?. Do total de participantes, oito por cento tinham esta doença. No entanto, a análise dos dados mostrou que ?havia uma redução de aproximadamente 20% na prevalência da doença entre aqueles que comiam mais alimentos ricos em ômega 3?.

Elizabeth Krall Kaye, da Universidade de Harvard, reconhece que “a conclusão mais importante é que mesmo pequenas quantidades ômega 3 podem ser benéficas para as gengivas. Trata-se de níveis que podem ser obtidos em alimentos com alto teor destes ácidos, sem ser necessário recorrer a suplementos”.

Apesar dos resultados positivos, a especialista alertou para a necessidade de mais investigação e de estudos que acompanhem os pacientes e avaliem os efeitos que o ômega 3 possa surtir na evolução da doença periodontal.

Referências:

http://www.cienciahoje.pt

http://www.perio.org

Recent Posts