Pensamentos sobre bochechos…

 em Público em geral

Dentistas, fabricantes e pesquisadores compreendem, cada vez mais, a importância de descrever e prescrever os bochechos,conforme as necessidades de cada caso. Fundamentalmente, a prescrição de um colutório deve observar os seguintes tópicos:

– Compreender que não são substitutos da higiene bucal mecânica, embora possam atuar como complemento,

– Seu uso deve seguir os ritos da PRESCRIÇÃO ODONTOLÓGICA, tal qual a dos médicos quando das suas indicações das fórmulas e das medicações de uso pessoal,

– Bochecho não é garantia de bom hálito aos que deixam de associá-lo com a escovação e uso do fio dental,

– As formulações à base de álcool devem ser evitadas, especialmente nas crianças, nos portadores de boca seca, nas situações de lesões e feridas bucais e para os dependentes do álcool,

– Geralmente preferir os de veículo aquoso, atualmente disponibilizados por praticamente todos os fabricantes,

– A indicação desta complementação deve considerar os seguintes requisitos: Finalidade,Tempo de Uso e a Posologia,

– Compreender que nem todas as pessoas precisam dos bochechos, livremente vendidos nas lojas do ramo, mas todas precisam de escovas e fio dental adequados a sua necessidade.

Em boa parte das vezes, o segredo não é escolher um bochecho para melhorar o estado da boca, mas sim escolher escovas e fios dentais de qualidade e/ou aprimorar suas técnicas e a frequência de manuseio…

Publicações recentes