Raio laser faz cinquenta anos.

 In Público em geral

O que Einstein descreveu em 1917, tornou-se realidade para a rotina de médicos, dentistas, engenheiros, militares, fisioterapeutas,astrônomos,educadores e outros.

O raio laser, uma das invenções científicas mais revolucionárias, completa meio século em 2010. Neste tempo foram desenvolvidas as mais variadas aplicações práticas a seu redor. Astronomia, comunicações, medicina, arte, entretenimento e muitas outras áreas, viveram uma evolução graças a esta invenção.

O nome laser é um acrônimo em inglês de Luz Amplificada Estimulada pela Emissão de Radiação (Light Amplification Stimulated by Emission of Radiation).

Sua descoberta acontece em 1960. No início ninguém acreditava nele, apesar de que Albert Einstein, já o tivesse predito em artigo, publicado em 1917. Com a evolução das pesquisas e das tecnologias, a área da ciência notou a importância que esse feixe de luz teria para o desenvolvimento de outros processos técnicos e de pesquisa em diferentes segmentos profissionais.

Na odontologia, por exemplo, muitas são as utilizações dos diferentes tipos de laser disponíveis na forma comercial. Dentre as aplicabilidades conhecidas merecem destaque o tratamento de dentes hipersensíveis, o auxilio ao reparo cicatricial e ao combate de infecções dentárias (terapia fotodinâmica), incisões cirúrgicas, clareamento dentário e remoção de tecidos dentários comprometidos.

Apesar dessas e de outras aplicações disponíveis, existem normas da ANVISA que regulam as aplicabilidades possíveis aos clínicos da odontologia radicados no Brasil. O seu dentista ou o Conselho de Odontologia saberão informá-lo sobre as regras e aplicações do laser pela nossa profissão.

Prof. Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes
Cirurgião-Dentista | Mestre em Odontologia pela Universidade Paulista | Membro da Sociedade Brasileira de Periodontia e da American Academy of Periodontology

Fonte: Agencia EFE ? texto adaptado de Isabel Martínez Pita

Recent Posts