Raspagem dentária – O tratamento que pode salvar um dente.

 em Profissionais da saúde

A boca é uma cavidade que aloja dentes, saliva e um conglomerado de de bactérias (além de vírus e fungos), capazes de se organizar em comunidades.

As comunidades que se estabelecem sobre os dentes,(preferencialmente na junção dos dentes com as gengivas) dão origem a placa bacteriana ou placa dentária.

Se não for removida, a placa vai proliferando em número de bactérias, no volume e, graças ao constante banho de saliva rica em cálcio, torna-se endurecida e passa a receber a denominação de “cálculo ou tártaro”.

Essa placa endurecida, ou tártaro, ajuda a reter ainda mais placa bacteriana nas suas porosidades. Isso permite que as bactérias existentes irritem os tecidos das gengivas, formando a gengivite, doença caracterizada por sangramento e inflamação das gengivas.

Se esse processo não for contido, pela eliminação das bactérias na higiene bucal diária e durante a intervenção profissional, pode evoluir para uma destruição gradual das fibras e do osso de suporte dentário, iniciando a bolsa periodontal, marca clássica da periodontite, que nada mais é do que a doença periodontal associada a destruição dos tecidos de suporte dentário.

Se na fase de uma periodontite não houver a intervenção profissional para reinstrução da prática de higiene bucal que permitiu ao paciente chegar esse ponto e a raspagem o alisamento e o polimento dentário no consultório dentário, o processo tende a prosseguir e a agressão das bactérias aos tecidos poderá culminar na destruição plena dos tecidos periodontais de suporte e levar a perda do dente.

Isso se deve ao fato de que as bactérias, por não terem a sua trajetória interrompida, continuam proliferando e liberando suas toxinas que provocam as reações de resposta do organismo, capazes de culminar com a destruição das bases de suporte dos dentes.

Quando os raspadores periodontais entram em campo no tratamento profissional, somados a adequação dos hábitos diários de higiene dos nossos pacientes, as gengivas tendem a responder de forma positiva, aderindo-se novamente aos tecidos dentários descontaminados.

O tratamento de raspagem dentária segue dois momentos distintos:

a) Remoção das bactérias e depósitos amolecidos fixos as estruturas dentárias ( RASPAGEM).

b) Alisamento de eventuais rugosidades deixadas nas superfícies dos dentes, pela remoção oriunda da raspagem ( ALISAMENTO)

Ao final recomenda-se ainda um polimento dos dentes, provido de pastas polidoras repletas de flúor para auxílio na recuperação daquelas estruturas dentárias submetidas ao tratamento.

Esse é o segredo do sucesso da periodontia e da prevenção voltada à preservação dos dentes!

Publicações recentes

Deixe um comentário