Revolução no tratamento das cáries ? É o que desejamos…

 In Profissionais da saúde

Pesquisadores da Universidade de Leeds descobriram uma forma indolor de combater a cárie dentária. Esta terapia poderá reverter os danos da destruição causada pelas bactérias associadas com a doença em questão – segundo apontam as recentes pesquisas. Além disso, este novo método, oferece a oportunidade de reconstruir a porção comprometida dos dentes.

O tratamento pioneiro promete transformar a abordagem de tratamento dos dentes com cáries em nível precoce ? segundo os pesquisadores informaram por uma entrevista concedida ao site medicalnewstoday.com.

Em linhas gerais, a cárie começa quando o ácido produzido por bactérias da placa dissolve o mineral dos dentes, causando furos microscópicos ou “porosidades?. Com o processo de evolução da cárie, esses micro-poros aumentam, de tamanho e número, até atingirem o padrão conhecido da cavidade de cárie.

– ?Trata-se de um ciclo vicioso, mas que pode ser quebrado?, de acordo com pesquisadores da Universidade de Leeds, que desenvolveram uma nova forma de tratamento dos primeiros sinais de cárie dentária.

Sua solução é baseada em um fluído com peptídeos que são, literalmente, pintados sobre a superfície do dente. A fórmula desse peptídeo estimula a regeneração do defeito do dente, causado pela cárie.

? ?Trata-se de uma forma totalmente conservadora de estimular o processo de reparação e é totalmente livre de dor também”, disse Jennifer Kirkham Professor, da Universidade de Leeds, que liderou o desenvolvimento das primeiras pesquisas com a nova técnica.

O fluído foi desenvolvido por pesquisadores da Escola de Química da Universidade de Leeds, liderados pelo Dr. Amalia Aggeli. Ele contém um peptídeo conhecido como P04/11 que – sob certas condições ? pode se reunir em fibras e gerar o benefício prometido.

Na prática, isso significa que, quando aplicado ao dente, o fluido escoa para os micro-poros causados pelo ataque ácido e, em seguida, espontaneamente, altera-se para a forma gel. Este gel fornece um “arcabouço” ou sustentação que atrai o cálcio, presente na saliva e na própria estrutura remanescente do dente, auxiliando a regeneração mineral do dente comprometido pela lesão inicial de cárie.

Como dissemos, a técnica já foi transferida do laboratório para a clínica. Um pequeno grupo de adultos, atendidos naquela escola de odontologia, diagnosticados com os sinais iniciais de cárie dentária, foi o escolhido. Os resultados, deste pequeno estudo, sugerem que P04/11 foi capaz de reverter os danos e regenerar o tecido dentário dos pacientes investigados.

É importante ressaltar que a cárie dentária, em níveis baixos de comprometimento (caso da mancha branca), pode ser revertida através da fluoretação profissional do dente e da mudança de hábitos das pessoas submetidas a esse processo.

Apesar de revolução prometida, o princípio descrito pelos pesquisadores de Leeds, tem respaldo no que já existe em nível terapêutico na odontologia atual. Fica a questão se o ?seu alcance? será maior ou menor que o nosso conhecido método da fluoretação, nas fases de lesões incipientes de cárie.

Novas pesquisas deverão confirmar a eficácia deste método e a sua eventual superioridade ao que já se pratica nos dias de hoje.

Recent Posts