Saiba o que roer as unhas pode causar aos seus dentes

 In Público em geral

Parece coisa de criança, mas roer as unhas é um hábito comum (mas nada saudável) e tem muito adulto por aí que sofre com esse vício. O mau hábito, geralmente, é atribuído ao excesso de ansiedade, estresse, nervosismo, e ele pode causar problemas bem mais graves do que você imagina, que vão desde uma simples gripe a doenças bucais mais sérias.  Veja no post de hoje o que o hábito de roer unhas pode causar aos seus dentes:

Fraturas e desgaste nos dentes frontais

Como todo “roedor” gosta de usar os dentes da frente para morder e arrancar pequenos pedaços das unhas e até das cutículas, eles são os que mais sofrem. A repetição sistemática do atrito entre unhas e dentes causa o desgaste do esmalte e, por consequência, do próprio dente.

Lacerações na gengiva e nas mucosas das bochechas

Outro dano que parece inofensivo são os pequenos cortes ou fissuras que acabam acontecendo por causa de pedaços soltos de unhas em contato com a gengiva e com as mucosas da bochecha. Como a pele dessas regiões é bastante sensível, é normal o surgimento de pequenos ferimentos que podem dar origem a aftas ou a outras feridas que levam a infecções mais perigosas.

Contaminação por bactérias

É muito comum o surgimento de contaminação por bactérias (das mais diversas) na região bucal entre as pessoas que roem as unhas. Isso acontece porque quem tem esse hábito acaba colocando as mãos sujas na boca várias vezes ao dia, o que aumenta muito a probabilidade de contaminação e aquisição de doenças.

Bruxismo e sensibilidade dentária

Por causa da fricção constante entre unhas e dentes, a pessoa que rói unhas fica mais propensa a desenvolver o que os dentistas chamam de bruxismo: que é o hábito de contrair a mandíbula com força, apertando um dente contra o outro, principalmente durante o sono. Além do desgaste que obviamente vai ocorrer na dentição, há perda da dentina (camada protetora dos dentes) e também a produção de um barulho característico de quem sofre com o problema.

A sensibilidade dos dentes também é outro efeito negativo para os “roedores”. Como o dente vai sofrendo perda de esmalte e pequenos danos, é comum ouvir relatos de um aumento considerável na sensibilidade.

Tomar conhecimento da lista de efeitos colaterais que o mau hábito de roer unhas acarreta não é o bastante. A pessoa que sofre com esse problema precisa de ajuda profissional para superar o problema. Talvez seja indicado procurar um psicólogo para fazer um acompanhamento personalizado, já que, em muitos casos, o fator emocional influencia decisivamente para a manutenção ou não do vício.

A ajuda dos amigos e familiares também é fundamental. Identificar os fatores da rotina que podem estimular o transtorno e eliminá-los também é uma sugestão. Normalmente, excesso de atividades, pressão, estresse, medo, ansiedade e angústia são resultados de uma vida atribulada, cheia de conflitos pessoais e profissionais,  que devem ser observados e modificados.

Caso você já sofra com alguma dessas consequências à saúde bucal, não deixe de consultar um dentista.

Você rói ou já roeu as unhas? Sofre algum desses efeitos colaterais? Conte para nós através dos comentários e continue acompanhando o blog para mais dicas!

Recent Posts

Leave a Comment