Saúde bucal influencia saúde mental?

 In Profissionais da saúde

Estudos anteriores já haviam confirmado que a perda da saúde mental coopera com a diminuição da capacidade das pessoas para cuidar da boca. Um estudo recente cita que o inverso pode ser verdade.

Uma recente publicação analisou o relacionamento da doença periodontal e das perdas dentárias com o declínio das habilidades cognitivas.

O resultado determinou que pode haver um link que reforçaria o esforço conjunto dos dentistas e dos pacientes para manter a saúde bucal e a estabilidade dentária em benefício da integridade mental.

Os investigadores compararam os registros dentários de homens na terceira idade, que haviam participado de uma fase prévia desse estudo, realizada nos anos 1960 e 1970. Em seguida, eles comparavam os achados bucais de preservação de saúde ou de aparecimento dos sinais de infecções bucais, doença das gengivas (periodontal) e/ou de perda de dentes – com os resultados dos testes para a medição da capacidade cognitiva dos investigados pelo estudo.

Esse teste cognitivo incluiu um teste de mapeamento neurológico que se somava a uma pequena avaliação através de exame do estado mental. Eles foram administrados junto com os exames médicos e odontológicos, a cada três anos.

O resultado foi que para cada um dos dentes perdidos, a cada 10 anos, o risco de resultados de perdas cognitivas aumentava em 2 pontos percentuais. Em média, as pessoas que ainda tinham todos os seus dentes naturais tiveram um “estado cognitivo” significativamente melhor do que aqueles que sofreram com as perdas dos dentes e/ou daqueles que apresentavam mais comprometimentos da cavidade bucal.

Fonte: Dental Health Magazine (on July 2010) and American Academy of Periodontology

Prof. Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes
Cirurgião-Dentista | Mestre em Odontologia pela Universidade Paulista | Membro da Sociedade Brasileira de Periodontia e da American Academy of Periodontology.

Recent Posts