Saúde bucal para bebês e mães grávidas.

 In Público em geral

Uma das dúvidas que afligem os novos pais é sobre o prazo para levar o seu filho ao dentista e sobre cuidados bucais na gestação. Aqui estão alguns conselhos para os cuidados com os bebês e as mamães.

Cerca de ½ de todas as mulheres grávidas desenvolvem gengivite ou inchaço das gengivas durante a gravidez por descuido com a higiene da boca. Geralmente os sinais se tornam mais evidentes durante o 2 º mês de gravidez e atingem picos mais significativos no 8º. mês. Apesar de ainda não compartilhar dessa flora bacteriana, não se deve ignorar que as bactérias e as doenças da boca podem
afetar o bebê ? conforme sugerem os estudos sobre a ocorrência de partos prematuros mais freqüentes em doentes periodontais (ou das gengivas).

Os sintomas da doença das gengivas incluem vermelhidão, aparência inchada e sangramento quando do uso do fio dental e das escovas. Se você tiver algum destes sintomas, visite o seu dentista. As gestantes devem fazer acompanhamento trimestral da saúde bucal no dentista e preservarem bons hábitos de higiene da boca.

A base nutricional também é importante. Verifique se a dieta tem % suficiente de vitaminas e de cálcio para ajudar a desenvolver os dentes e a integridade física do bebê.

Comece a cuidar das gengivas de seu bebê logo ao nascer, limpando-os com uma espécie de fraldinha de pano ou escovas especiais para bebês – após cada mamada.Continue isto quando os primeiros dentes aparecerem. O estado bucal da criança merece atenção especial desde a percepção dos primeiros sinais de dentes na arcada dentária. Em caso de dúvidas, consulte o odontopediatra mesmo antes desse prazo.

Obviamente, o leite materno é a fórmula para a nutrição saudável da criança até o sexto mês de vida. A amamentação exclusiva pela mãe garante, inclusive, a transferência de imunizantes para a criança e não exige a remoção imediata dos restinhos que sobram no canto da boquinha ou sobre as gengivas do bebê, após o consumo.

Quaisquer outros alimentos que entrem na rotina alimentar do bebê exigem a remoção, após o consumo, com os recursos de limpeza citados. O açúcar refinado (comum nas mamadeiras adoçadas e chupetas meladas para ?acalmar? os bebês) é um alimento dispensável e um hábito nocivo induzido pelos maus costumes e pela falta de orientação dos familiares. Lembre ? se que o bebê não pediu açúcar a você, mas foi você quem apresentou essa ?doce tentação? a ele nessa fase fundamental ao desenvolvimento dos costumes.

Estudos apontam que as pessoas mais apaixonadas pelo ?doce veneno refinado? são, na sua maioria, as que entraram em contato mais precoce com esse vício.
Prefira o açúcar oriundo das frutas e de alimentos naturais. A única ressalva é com relação ao mel. Lembre-se que o açúcar do mel é tão cariogênico e prejudicial ao desenvolvimento do paladar do bebê, quanto o do pacote de açúcar.

A saúde bucal do bebê começa com a educação e uma rotina de bons hábitos dos pais. Esse é um dos segredos para familias mais felizes, saudáveis e sorridentes.

Prof. Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes
Cirurgião-Dentista | Mestre em Odontologia pela Universidade Paulista | Membro da Sociedade Brasileira de Periodontia e da American Academy of Periodontology.

Recent Posts