Tratar a doença periodontal pode reduzir o risco de nascimentos de bebês de baixo do peso.

 In Profissionais da saúde

A prematuridade e o baixo peso ao nascer são problemas para a saúde pública do mundo. Fonte: wellsphere.com

Esse estudo foi realizado por um grupo de investigadores de Feira de Santana, na Bahia. Seu esboço completo foi publicado na versão on line do Journal of Periodontology ? uma das mais importantes revistas científicas da odontologia. Parabéns ao grupo brasileiro pelos serviços prestados à ciência.

Terapia Periodontal e Baixo Peso: Resultados preliminares de uma estratégia alternativa metodológica
Isaac S. Gomes Filho,Simone S. Cruz,Mariada Conceição N. Costa, Johelle S. Passos, Eneida MM Cerqueira,Fábio P. Sampaio,* Eliesita C. Pereira,Lituania F. Miranda

Resumo Journal of Periodontology
Publicado online em 27 de julho de 2010.

Antecedentes: O objetivo deste estudo é apresentar a utilização de um desenho experimental não randomizado com vários controles, com ênfase em um grupo controle histórico, como um recurso metodológico alternativo para estudos sobre a associação entre doença periodontal e prematuridade / baixo peso ao nascer.

Métodos: A amostra foi constituída de 234 gestantes: 54 no grupo teste (diagnosticado e submetido ao tratamento da doença periodontal), 68 do Grupo Controle I (sem doença periodontal) e 112 no Grupo Controle II (grupo controle histórico, com doença periodontal não tratada). O diagnóstico da doença periodontal foi estabelecida por meio de um exame clínico completo, com medidas de profundidade de sondagem, recessão gengival, perda de inserção clínica e índice de sangramento. As mulheres no grupo de teste foram clinicamente tratadas para periodontite e houve o acompanhamento com terapia de suporte periodontal, durante a gravidez. Após o parto, elas foram reavaliadas quanto à sua condição periodontal, e sobre informações do seu recém-nascido, que incluíam a avaliação do peso ao nascer. Isso também foi feito para grupos Controle I e II. A análise descritiva sobre as variáveis do estudo foi realizada através do teste qui – quadrado e do teste exato de Fisher, As medidas de associação (risco relativo, RR) foram obtidas utilizando um nível de significância de 5%.

Resultados: A freqüência de baixo peso ao nascer entre as mulheres, cuja doença periodontal foi tratada, foi semelhante ao observado no grupo que não apresentou essa doença bucal e menor do que as que sofriam de doença periodontal, dentro do grupo controle II, ou grupo que não foi tratado.

Conclusões: Os resultados sugerem que a terapia periodontal de sucesso em mulheres grávidas que sofrem de periodontite é um fator de proteção para promover o nascimento de crianças com peso normal.

Prof. Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes
Cirurgião-Dentista | Mestre em Odontologia pela Universidade Paulista | Membro da Sociedade Brasileira de Periodontia e da American Academy of Periodontology.

Recent Posts