Tudo o que você precisa saber sobre tártaro dentário!

 em Público em geral

Você já reparou que com o tempo aparecem algumas placas amareladas na base dos dentes, perto da linha gengival? Mesmo fazendo uma escovação caprichada e usando o fio dental elas não são removidas. Isso ocorre, porque as bactérias proliferam e formam uma placa endurecida, chamada tártaro. Para eliminá-lo, é importante ir ao dentista e realizar limpezas rotineiramente. Neste artigo explicaremos tudo sobre o tártaro e como tratá-lo para ter uma ótima saúde bucal e um sorriso impecável.

O que é e como é formado o tártaro dentário?

Na nossa boca existem milhões de bactérias. A saliva, junto aos restos de comida, colabora para criar um ambiente propício para a proliferação dessas bactérias. Quando isso acontece, elas aderem à base do dente, formando uma placa bacteriana.

Com 12 horas sem escovação, as bactérias começam a liberar ácidos que desgastam o esmalte dentário, liberando alguns íons, como o fosfato. Os restos de comida trazem íons cálcio, que combinados ao fosfato, formarão cristais de fosfato de cálcio. Esses cristais, juntamente a outros minerais, se depositarão na parede do dente.

O acúmulo desses cristais forma um depósito mineralizado de placa bacteriana que chama tártaro. Esse material normalmente é de coloração amarelada, mas pode ser verde ou marrom. Por ser calcificado e duro, sua remoção se torna difícil sem ajuda profissional. O tártaro oferece uma maior superfície para o crescimento das bactérias, o que pode levar a algumas complicações, como a doença gengival ou a cárie dentária.

Quais são as causas do tártaro dentário?

Se os dentes fossem muito bem escovados após todas as refeições ou em um intervalo máximo de 12 horas, a placa bacteriana seria eliminada e o tártaro não seria formado. A má escovação é uma das principais causas. A falta do fio dental no cotidiano das pessoas também contribui para o quadro.

Além disso, uma alimentação extremamente ácida, rica em açúcares e gorduras prejudiciais, torna a limpeza extremamente difícil, além de propiciar o crescimento das bactérias. Outro fator que predispõe a formação de tártaro é consumir café ou chá preto e fumar.

É importante ressaltar que existe um fator genético associado à formação das placas. Algumas pessoas têm uma maior formação de placa bacteriana e tártaro do que outras, mesmo fazendo a higienização bucal de forma adequada. Se você sofre com esse problema, deve ir ao dentista com uma frequência maior e estar atento aos problemas gengivais.

Como é o tratamento realizado dentro do consultório odontológico?

Como já foi mencionado, o tártaro é duro e aderido a parede dental, e por mais que o dente seja escovado, ele não será eliminado. Dessa forma, a única forma de ficar livre da placa amarelada é indo ao dentista. Nas consultas rotineiras de limpeza, o profissional pode removê-lo com instrumento manual, como a Cureta, utilizada para raspar os tártaros supra gengivais (visíveis acima da linha da gengiva) e sub gengivais (ocultos abaixo da linha gengival).

Também existem aparelhos que fazem o mesmo papel de raspagem da Cureta. Outra opção é o uso de ondas ultrassônicas, emitidas por um aparelho de ultrassom dentro do consultório odontológico. Os tártaros são destruídos pelas vibrações que as ondas causam nos dentes, sem alterar a estrutura dental.

Como é possível evitar o tártaro para uma melhor saúde bucal?

A melhor prevenção para o tártaro e todas as doenças relacionados aos dentes é a atenção especial à limpeza bucal. A escovação deve ser feita após qualquer refeição, com duração mínima de 2 minutos. Não podemos esquecer os dentes que ficam escondidos no fundo da boca, como os molares.

O fio dental deve ser usado toda noite antes de dormir e em todos os dentes, para eliminar o que sobrou dos resíduos de comida acumulados durante o dia. É importante lembrar que durante o sono o fluxo de saliva é reduzido, havendo um aumento de temperatura. Os dois fatores associados contribuem para a formação de biofilme bacteriano. Se houver restos de comida, esse efeito será potencializado.

O uso de enxaguante bucal ajuda a melhorar o hálito e também é recomendado. A alimentação rica em frutas e vegetais crus, (como a maçã, espinafre, acelga, alface, rúcula e vegetais de folhas verdes no geral) também contribuem para a prevenção do tártaro. Alimentos cheios de açúcares devem ser evitados, principalmente, quando a próxima escovação for demorar.

O que acontece se o tártaro não for eliminado?

O tártaro possui porosidades que ajudam as bactérias a se proliferarem após a sua instalação. Quando ele não é removido, as bactérias continuam se multiplicando e produzindo substâncias tóxicas e ácidos, que irritam e causam inflamação das gengivas. O sangramento também pode estar associado a um quadro que chamamos de gengivite, no qual as gengivas ficam doloridas.

Se esse processo não for contido, ocorre uma destruição gradual das fibras e penetração intra gengival, que pode atingir o osso. É formada então a bolsa periodontal, ou seja, uma profundização do sulco gengival. Nela as bactérias se proliferam, causando a patologia chamada de doença periodontal. Se houver destruição dos tecidos de suporte e do osso, o paciente pode perder o dente.

O tratamento é feito no consultório odontológico e com anestesia, pois as partes afetadas estão em contato com nervos. Primeiramente é feita uma raspagem das bactérias e dos tecidos amolecidos intra gengivais, na região da bolsa periodontal. Posteriormente, é feito um alisamento radicular, ou seja, uma raspagem cuidadosa da raiz do dente para reduzir a resposta inflamatória. O alisamento de eventuais rugosidades no dente serve para impedir um novo crescimento da placa bacteriana.

A higiene bucal é de extrema importância para garantir não só a sua saúde bucal, mas também a saúde do seu organismo como um todo. Muitas doenças podem ser prevenidas com uma maior atenção a escovação! Evite que as complicações citadas nesse artigo se instalem em sua boca! É importante ficar atento a qualidade dos produtos usados na escovação e visitar regularmente um dentista. Não deixe de fazer a limpeza dos dentes num intervalo máximo de 6 em 6 meses.

Aprendeu tudo sobre o tártaro? Quer saber mais sobre o assunto? Leia o nosso artigo: Raspagem dentária  O tratamento que pode salvar um dente.

Publicações recentes

Deixe um comentário