Tudo o que você precisa saber sobre tártaro dentário!

 In Público em geral

Você já reparou que com o tempo aparecem algumas placas amareladas na base dos dentes, perto da linha gengival? Mesmo fazendo uma escovação caprichada e usando o fio dental elas não são removidas. Isso ocorre porque as bactérias proliferam e formam uma placa endurecida, chamada tártaro.

Para eliminá-la, é importante ir ao dentista e realizar limpezas rotineiras. Neste artigo, explicaremos tudo sobre o tártaro dentário e como tratá-lo para ter uma ótima saúde bucal e um sorriso impecável.

O que é tártaro dentário?

É uma placa bacteriana que endurece na superfície dos dentes, formando uma camada dura. Também pode ser chamada de biofilme dental ou cálculo. É considerado um problema estético, mas seu mal atinge a saúde bucal e prejudica os dentes e gengiva.

Como ele se forma?

Dentro da nossa boca vivem milhões de bactérias. A saliva, junto aos restos de comida, colabora para criar um ambiente propício para a proliferação desses micro-organismos. Quando isso acontece, elas aderem à base do dente, formando uma placa bacteriana.

Após 12 horas sem escovação, as bactérias começam a liberar ácidos que desgastam o esmalte dentário, liberando alguns íons, como o fosfato. Os restos de comida trazem íons cálcio, que combinados ao fosfato, formam cristais de fosfato de cálcio. Esses cristais, juntamente a outros minerais, se alojam na parede do dente.

O acúmulo dessas substâncias forma um depósito mineralizado de placa bacteriana denominado tártaro. Por ser calcificado, é duro, e sua remoção se torna difícil sem a as técnicas profissionais. O tártaro oferece uma maior superfície para o crescimento das bactérias, o que pode levar a algumas complicações, como a doença gengival ou a cárie dentária.

Como identificar o tártaro?

A camada produzida pelo tártaro dental é rígida, como já explicamos e, normalmente, tem uma coloração amarelada, também podendo ser verde ou marrom bem escuro. Para verificar se você está com o problema, veja se há uma cobertura com essas características nos seus dentes, na parte de baixo, próximo à gengiva.

Não é só nessa região que ele se instala, portanto, observe se existem manchas com as cores indicadas ao redor de todo o dente. Se tiver, provavelmente são provocadas pelo tártaro. Para ter uma confirmação exata, o ideal é visitar o dentista, só ele é capaz de fazer uma avaliação adequada.

Visitar esse profissional frequentemente também permite que o problema seja identificado cedo e suas consequências não sejam maiores. Não espere ter manchas visíveis a olhos leigos para fazer o tratamento, examine a boca com um dentista a cada seis meses.

O que causa o tártaro dentário?

Agora que você já sabe o que é e como ele se manifesta na sua boca, chegou a hora de entender o que pode causar esse problema.

O perigo de uma higiene bucal ruim

má escovação é uma das principais causas. A falta do fio dental no cotidiano das pessoas também contribui para o quadro. Escovar muito bem os dentes após todas as refeições ou em um intervalo máximo de 6 horas impede que a placa bacteriana se aloje na boca e forme o tártaro.

Hábitos alimentares merecem atenção

A origem também pode estar em uma alimentação extremamente ácida, rica em açúcares e gorduras prejudiciais. Esse tipo de alimento torna a limpeza extremamente difícil, além de propiciar um ambiente favorável ao crescimento das bactérias. Outro fator que predispõe a formação de tártaro é consumir café, chá preto e fumar.

A influência genética na saúde bucal

É importante ressaltar que existe um fator genético associado à formação das placas. Algumas pessoas têm maior predisposição a formar placa bacteriana e tártaro do que outras, mesmo fazendo a higienização bucal de forma adequada. Se você sofre com o problema, deve ir ao dentista com uma frequência maior e estar atento às enfermidades gengivais.

Misturas caseiras podem resolver o problema?

Explicamos acima o quão dura e resistente é a camada de tártaro, então, a resposta é não. É possível encontrar em vários sites e portais online dicas que prometem eliminar o problema: bicarbonato de sódio, limão, gergelim, óleos, pasta de aloe-vera ou água oxigenada. Não importa a mistura que você faça, não vai funcionar.

A placa que se forma só sai com a utilização de instrumentos que apenas o dentista sabe manusear. Em alguns casos, é necessário até o uso das ondas ultrassônicas. Portanto, não perca tempo com produtos que, além de não solucionarem o problema, podem até desgastar o esmalte dos dentes. Agende logo a sua visita ao dentista.

Como é o tratamento realizado dentro do consultório odontológico?

Como já foi mencionado, o tártaro é duro e aderido à parede dental. Por mais que o dente seja escovado, ele não será eliminado. Dessa forma, o único caminho para ficar livre da placa amarelada é ir ao dentista.

Limpezas

Nas consultas regulares de limpeza, o profissional pode removê-lo com um de seus instrumentos como a Cureta, utilizada para raspar os tártaros supragengivais (visíveis acima da linha da gengiva) e subgengivais (ocultos abaixo da linha gengival). Também existem aparelhos que fazem o mesmo papel da raspagem da Cureta.

Ultrassom

Outra opção é o uso de ondas ultrassônicas, emitidas por um aparelho de ultrassom dentro do consultório odontológico. Os tártaros são destruídos pelas vibrações que as ondas causam nos dentes, sem alterar a estrutura dental.

Como prevenir o tártaro?

Com a saúde da boca não se brinca. Muitos problemas podem evoluir para consequências graves, portanto, o melhor é manter o tártaro bem longe.

Faça uma limpeza bem-feita

A melhor forma de evitar o tártaro e todas as doenças relacionados aos dentes é atenção e cuidado com a higiene bucal. A escovação deve ser feita após qualquer refeição, com duração mínima de 2 minutos. Não podemos esquecer os dentes que ficam escondidos no fundo da boca, como os molares, para alcançá-los, a melhor escolha é uma escova com a cabeça pequena e cerdas macias.

Não esqueça o fio dental

O fio dental deve ser usado todas as noites antes de dormir e em todos os dentes. Sua função é eliminar o que sobrou dos resíduos de comida acumulados durante o dia. É importante lembrar que, durante o sono, o fluxo de saliva é reduzido, havendo um aumento de temperatura.

Os dois fatores associados contribuem para a formação de biofilme bacteriano. Se houver restos de comida, esse efeito será potencializado. O uso de enxaguante bucal ajuda a melhorar o hálito e também é recomendado para ajudar na higienização bucal.

Se alimente bem

A alimentação rica em frutas e vegetais crus, (como a maçã, espinafre, acelga, alface, rúcula e vegetais de folhas verdes no geral) também contribui para a prevenção do tártaro. Alimentos cheios de açúcares devem ser evitados, principalmente, quando a próxima escovação for demorar.

Quem tem aparelho ortodôntico deve tomar mais cuidado?

Quando os dentes estão recebendo um tratamento com aparelho, o risco de acúmulo de bactérias se torna maior. O motivo é os diversos elementos adicionado ao dente: bráquetes, borrachas, fios etc. Eles facilitam ainda mais que restos de comida permaneça grudados e, então, que as bactérias se alojem.

Não é só o tártaro que pode ser mais recorrente: outros problemas bucais também. Por isso, os cuidados com a higiene devem ser redobrados por quem usa aparelho. Use também uma escova ortodôntica ou a interdental, além da comum. Elas ajudam a limpar lugares mais difíceis.

Outros produtos também podem ajudar, principalmente no caso do fio dental, já que seu uso fica dificultado pelo aparelho. O mini-flosser é uma boa opção, além do irrigador, que joga um jato de água, higienizando a região com força mecânica.

O que acontece se o tártaro não for eliminado?

O tártaro possui porosidades que ajudam as bactérias a se proliferarem após a sua instalação. Quando ele não é removido, as bactérias continuam se multiplicando e produzindo substâncias tóxicas e ácidos, que irritam e causam diversos problemas bucais.

  • dor de dente e sangramento: a presença da camada cheia de bactérias pode fazer com que você sinta dor de dente e tenha sangramento gengival;
  • mau hálito: outro inconveniente da presença dessa mistura entre seres vivos e minerais é um cheiro ruim;
  • gengivite: os micro-organismos presentes na placa acabam causando uma inflamação das gengivas. A gengivite pode causar dor de dente, entre outros sintomas;
  • doença periodontal: se o tártaro não for contido, ocorre uma destruição gradual das fibras e penetração intragengival, que pode atingir o osso. É formada, então, a bolsa periodontal, ou seja, uma aprofundação do sulco gengival. Nela, as bactérias se proliferam, causando a patologia;
  • perda dos dentes: quando a doença periodontal se agrava, pode haver destruição dos tecidos de suporte e do osso, nesses casos, o paciente corre o risco de perder o dente.

Recomendações para casos graves

No caso do tártaro ter evoluído para a patologia periodontal avançada, o tratamento é feito no consultório odontológico e com anestesia, pois as partes afetadas estão em contato com nervos. Primeiro é feita uma raspagem das bactérias e dos tecidos amolecidos intra gengivais, na região da bolsa periodontal.

Posteriormente, é feito um alisamento radicular, ou seja, uma raspagem cuidadosa da raiz do dente para reduzir a resposta inflamatória. O alisamento de eventuais rugosidades no dente serve para impedir um novo crescimento da placa bacteriana.

A higiene bucal é de extrema importância para garantir não só a sua saúde bucal, mas também a saúde do seu organismo como um todo. Muitas doenças podem ser prevenidas com uma maior atenção a escovação! Evite que as complicações citadas nesse artigo se instalem em sua boca!

É importante ficar atento à qualidade dos produtos usados na escovação e visitar regularmente um dentista. Não deixe de fazer a limpeza dos dentes num intervalo máximo de 6 em 6 meses.

Aprendeu tudo sobre o tártaro? Quer saber mais sobre o assunto? Leia o nosso artigo: Raspagem dentária — O tratamento que pode salvar um dente.

Recent Posts

Leave a Comment