Uma entrevista com uma diferenciada especialista em mordida!

 In Sem categoria

Problemas de mordida? Consulte um cirurgião-dentista. É isso o que os pacientes pensam, não é mesmo? Pelo jeito eles estão repletos de motivos para continuar pensando dessa maneira, ainda mais quando sabemos que a nossa colega de profissão, Doutora Priscila Felberg levou o tema tão à sério, que resolveu estudá-lo em outra esfera profissional. Ela é uma renomada especialista brasileira no relacionamento entre animais domésticos e pessoas.

Apesar dos conhecimentos odontológicos, obtidos pela Universidade Paulista, a Doutora Priscila sempre se realizou no trato dos animais domésticos e com o estudo das complexidades que cercam o convívio humano com esses “seres de estimação”.

Seus trabalhos universitários de pós-graduação e a sua função de destaque junto ao grupo Cão Cidadão, do Dr. Pet, a tornam uma referência na educação das famílias e dos animais para um convívio mais harmônico e salutar, repleto de amor e satisfação aos dois lados. Pelo jeito, adestramento é coisa séria demais para ser esquecida.

O Adoro Sorrir foi atrás dessa grande novidade e apresenta primeira mão, tudo o que devemos saber quanto aos riscos das mordidas caninas.

Adoro Sorrir: A mordida de cão é perigosa para a integridade das crianças?

Dra. Priscila Felberg: Sim. A mordida de um cão, mesmo que de porte pequeno pode ser perigosa a integridade das crianças, pois pode atingir regiões do corpo delicadas, como por exemplo, a face. Lesionando os lábios, as bochechas, os olhos ou as orelhas. Causando danos físicos e psicológicos que as crianças carregarão pela vida toda.

Adoro Sorrir: Quais as regiões do corpo mais afetadas pela mordida dos cães, especialmente em crianças e pessoas mais indefesas?

Dra. Priscila Felberg: Estudos demonstram que as mordidas atingem principalmente os membros superiores: cabeça, ombro, braços e mãos.

Adoro Sorrir: Qual o nível de ocorrência desse trauma físico pela mordida de cão na população e quem corre mais riscos – as pessoas nas ruas ou dentro de casa?

Dra. Priscila Felberg: A incidência dos ataques que resultam em mordidas que necessitam de atendimento no Instituto Pasteur para vacinação antirrábica no ano de 2010 chegou aproximadamente ao número de 452 mil atendimentos. Os indivíduos mais atingidos são crianças e adolescentes entre 5 e 14 anos, dentro de casa, por cães conhecidos.

Adoro  Sorrir: Quais as razões que levam cães e outros animais domésticos a reagirem desta “forma agressiva”?

Dra.Priscila Felberg: Geralmente os cães agridem para se defender. Alguma brincadeira brusca, ou barulho muito forte pode deixar o animal muito ansioso, e se ele não tiver como escapar da situação ele acaba agredindo.

Adoro Sorrir: Como prevenir essa atitude inesperada e agressiva do animal, através da mordida?

Dra. Priscila Felberg: Antes de tudo é preciso observar a regra de ouro: NUNCA deixar uma criança e um animal sozinhos no mesmo ambiente, sempre com a presença de um adulto. Depois é necessário entender os sinais calmos. Sinais calmos são as posturas corporais que o cão executa para demonstrar ansiedade, medo e desconforto. Costumeiramente, após essas posturas, se a situação não melhorou ou mudou positivamente o cão ataca; pois ele sente necessidade de se defender. Portanto, o conhecimento da linguagem corporal, a estruturação do ambiente aonde o cão vive com a família, a educação daqueles que vivem com o animal em relação a sua individualidade são primordiais para iniciar uma prevenção. Seguindo nesse caminho, também sugiro aulas de adestramento como uma forma de educação e distração para o cão.
Adoro Sorrir: Qual a sua opinião sobre o beijo, especialmente na boca de animais pelas pessoas? Trata-se de um tipo de interação recomendável na relação entre pessoas e animais domésticos?

Dra. Priscila Felberg: Não recomendo o beijo na boca. A cavidade bucal do cão é muito rica em micro-organismos, muito mais do que a do ser humano. O beijo, ou lambida é necessário, afinal é uma das maneiras como eles manifestam o carinho. Porém podemos ensiná-los a beijar a ponta do nosso nariz, a nossa bochecha ou nossa mão. Mesmo direcionando as beijo/lambidas ainda indico que após a interação, seja feita a lavagem da face e das mãos.

Adoro Sorrir: Aproveitando seus conhecimentos odontológicos e de saúde, quais os cuidados para que os animais tenham bocas saudáveis?

Dra. Priscila Felberg: O ideal seria escovar os dentes dos cães pelo menos uma vez ao dia! Se não for possível, não ultrapasse mais de uma semana sem uma boa escovada. Também é muito importante observar a alimentação; comida caseira, pães ou doces podem acelerar o processo de cáries ou de gengivite. Outro cuidado que deve ser tomado é com ossos de destruição, eles podem quebrar os dentes, levando a perda dos mesmos. Enfim, assim como nós, uma visita ao veterinário especialista em odontologia uma vez por ano pode ajudar seu pet a ter uma vida mais saudável!

Dúvidas? Consulte o http://www.caocidadao.com.br/consulta_de_comportamento.php

Recent Posts