Você conhece as bactérias anaeróbicas, vilãs na boca?

 em Profissionais da saúde, Público em geral

O mau hálito, também conhecido como halitose, é um problema bem desagradável pelo qual ninguém quer passar – mas que todo mundo já teve ou continua a ter. Boa parte dos casos são momentâneos, como por exemplo o mau hálito ao acordar, mas há aqueles que duram muito tempo e acabam acompanhando a pessoa por dias, meses ou anos.

Se você detesta o mau hálito, conheça uma das suas principais causas: as bactérias anaeróbicas. A ação desses organismos, que vivem com pouco ou sem nenhum oxigênio, é determinante para deixar aquele mau cheiro bucal que ninguém quer ter. Um hálito fresco anuncia uma boca limpa e uma pessoa saudável. Já quem sofre com a halitose sabe, ou já reparou, como é ruim lidar com o afastamento das pessoas, sem contar que o hálito pode ser sinal de doença.

Veja aqui como as bactérias anaeróbicas agem na boca e aprenda a combatê-las.

Qual a função das bactérias anaeróbicas?

A nossa boca está repleta de diversos microorganismos, e entre eles estão as bactérias anaeróbicas. Elas vivem sem oxigênio ou com muito pouco, e há inclusive aquelas que são facultativas: podem sobreviver com ou sem o gás.

Esses organismos vivem da digestão de restos de alimentos que ficam nos dentes, na língua, gengiva, bochechas e qualquer outro cantinho da boca, que preferencialmente não tenha muito oxigênio ou mesmo presença de saliva, um “enxaguante” natural produzido pelo corpo que ajuda a matar essas bactérias. No processo de digestão são liberados diversos gases, muitos com mau odor, como o gás sulfídrico, presente no ovo podre; ácido isovalérico (um dos responsáveis pelo mau cheiro no suor dos pés) e escatol, presente também nas fezes, entre muitos outros que contribuem para a halitose.

Como as bactérias surgem?

A causa mais frequente para o mau hálito é a má higiene bucal. Não escovar os dentes ao menos quatro vezes por dia (ao acordar, após as refeições e antes de dormir), não passar o fio dental e não dedicar tempo nem atenção suficientes durante a escovação causam a halitose, pois os restos de alimento continuarão na boca para gerar a proliferação das bactérias e sua fermentação, culminando com a produção dos gases fedorentos.

Outro motivo que propicia o aumento dessas bactérias é a ausência de oxigênio em determinadas áreas da boca ou em momentos específicos. O mau hálito ao acordar, por exemplo, ocorre porque nosso organismo produz menos saliva durante o sono. A saliva contém bastante oxigênio e, conforme é produzida na boca, ajuda muito no combate às bactérias anaeróbicas. Após horas dormindo, acordamos com o mau cheiro – o que é comum, afinal as bactérias se proliferaram durante toda a noite.

Quando falamos durante um longo período de tempo, ou quando se respira demais pela boca – seja por doenças que impedem o bom funcionamento da respiração pelo nariz ou por ter adquirido esse hábito -, menos oxigênio circula por ela, o que favorece a vida das bactérias anaeróbicas.

Aquilo que se consome também tem papel fundamental no hálito. Alimentos de forte odor, como alho, cebola e molhos apimentados, podem não só deixar restos na boca se não houver uma boa escovação, como também manter gases presentes no corpo que, presentes no ar que expelimos, causam mau cheiro. Cigarro e álcool também colaboram para a halitose, pois ressecam a boca e podem interferir na saúde das gengivas e deixar resíduos que prejudicam o aroma.

Como combater as bactérias anaeróbicas?

A principal arma para combater as bactérias anaeróbicas é manter uma boa higiene bucal. Não se esqueça de limpar o fundo da língua, que é uma região propícia para o desenvolvimento das bactérias. Com regularidade, se diminui a sensação de vomitar causada no começo da escovação dessa parte da língua.

Não esqueça o fio dental, que ajuda a retirar restos que fiquem entre os dentes, da parede bucal, do sulco gengival (aquela região entre a gengiva e o dente) e também de fazer um bom enxague com água. Para uso de outros líquidos, como enxaguantes bucais ou soluções que podem conter limão, água oxigenada ou bicarbonato, é recomendável procurar a orientação especializada do dentista, que poderá indicar o melhor em cada caso.

Beber muita água também ajuda a manter a boca sempre hidratada, assim como mascar chicletes (sem açúcar), que estimulam a produção de saliva. Tomar um bom café da manhã e consumir alimentos ricos em fibras ajuda na limpeza dos dentes, reforçando o combate às bactérias anaeróbicas.

Casos mais sérios devem receber atenção odontológica e até médica. Portanto, vá sempre ao dentista.

Gostou desse artigo? Receba no seu e-mail informativos de temas como esse:

* indicates required





Depositphotos/javiercorrea15

Publicações recentes

Deixe um comentário