Você conhece os benefícios da restauração oral?

 In Profissionais da saúde, Público em geral

As técnicas de restauração oral são todas aquelas destinadas a recuperar dentes danificados. Seja por cáries, desgaste natural com o tempo, pequenas fraturas ou dentes quebrados por qualquer motivo, a restauração utiliza um material sintético para recuperar a funcionalidade completa do dente e da arcada dentária do paciente.

Há vários materiais que são utilizados pelos profissionais dentistas na restauração. Entre os principais estão ouro, porcelana, uma resina composta (restauração da cor do dente) e amálgama (uma liga de mercúrio, prata, cobre, estanho e algumas vezes zinco). Além disso, outros procedimentos, como a coroa e as facetas, também são considerados de restauração oral.

Mais quais são os benefícios?

Muitas pessoas acreditam que os únicos benefícios da restauração dentária são estéticos. Isso não é verdade. Tão importante quanto garantir que o paciente tenha um sorriso bonito, ajudando na sua autoestima e confiança no dia a dia, as restaurações têm o objetivo de dar de volta aos dentes sua função deteriorada.

Uma cárie ou outros tipos de lesões podem comprometer seriamente a sensibilidade dos dentes, sua capacidade mastigativa, fonética e, inclusive, a estabilidade dos outros dentes da arcada. Por isso, caso o médico dentista conclua que a restauração é a melhor saída, é essencial que o paciente faça o procedimento.

Como são feitas as restaurações?

Com pequenas variações de acordo com o material escolhido, a restauração consiste em etapas simples. Em primeiro lugar, o médico dentista faz a retirada de qualquer impureza do local, seja cárie, restos de alimento ou outras bactérias. Então, é feito o selamento para que a região se mantenha limpa. Depois disso o material escolhido é colocado de acordo com a forma mais adequada.

Como escolher o melhor tipo de restauração?

Basicamente, três fatores interferem na hora da escolha: visibilidade da restauração, custo e condições do paciente. Isso porque alguns materiais podem ser rejeitados pelo corpo do paciente. Por isso, a orientação e o acompanhamento do médico dentista são muito importantes nessa escolha. Não fique tímido na hora de tirar todas as dúvidas!

  • Restauração de ouro: É uma das que possuem melhor aceitação com o corpo do paciente, mas possuem um custo elevado. Além disso, a cor dourada e reluzente se destaca facilmente. Por outro lado, pode durar até 30 anos. É feita em laboratório e depois inserida no paciente.
  • Restauração amálgama: É a mais barata e com relativa resistência. Seu principal ponto contra é a rejeição e também o fato de ser escura e, por isso, não indicada para restaurações em locais visíveis da boca.
  • Restauração de resina (plástico): Tem um custo mediano, mas é possível fazê-las da cor dos dentes do paciente. Os compostos são misturados e aplicados diretamente na cavidade dentária  necessária, onde enrijecem. O ponto fraco desse tipo é a baixa resistência, durando de três a dez anos.

Facetas e coroas

Em caso de deteriorações maiores, pode ser indicado a confecção de facetas ou coroas, que são espécies de recobrimentos fixos ou móveis feitos no dente danificado.

E então, o que achou dessas dicas? Você acha que precisa fazer restauração? Já possui alguma? Deixe seu comentário abaixo e lembre-se de continuar acompanhando o blog do TePe e de nos seguir nas redes sociais!

Recent Posts

Leave a Comment