“Você faz suas escolhas, e suas escolhas fazem você.”

 In Público em geral

“Você faz suas escolhas, e suas escolhas fazem você.”

Steve Beckman – economista

Respeito muito os representantes das marcas comerciais que nos visitam em nossos consultórios. Apesar de poucas vezes conseguir atendê-los, devido ao corre ? corre da atividade profissional, nas oportunidades em que nos encontramos, faço questão de deixar a conversa fluir e entender como se preparam para a tarefa de convencer a nossa categoria sobre a superioridade e os benefícios que aquele implante, aquela resina ou aquela linha de higiene bucal trará aos nossos pacientes.

É incrível como ? a cada ano? melhoram a sua compreensão sobre as nossas necessidades, embora nem sempre esse entendimento esteja respaldado no produto que representam ou tentam nos passar.

Daí, como num passe de mágica, retornam ao lugar comum e retomam os velhos discursos dos resultados testados pela empresa (?) e das apostilas decoradas e voltadas ao discurso preparado e pronto.

Acho fundamental que os colegas da odontologia sigam estudando, incrementando a atualização, deixando de lado a atitude de enfrentamento de grandes filas em congressos para ganhar um pacotinho de brinde, escova, creme dental e bochecho e passem a questionar os modelos e o que as marcas podem fazer por seus pacientes e pela melhora do seu desempenho profissional.

Certa vez perguntei a um representante comercial e ao consultor científico de uma marca comercial quais as vantagens que sua escova repleta de borrachas mescladas a cerdas de alturas e texturas variadas poderia oferecer aos meus pacientes e qual a técnica de escovação adequada àquele modelo de escova.

Disse-me o afoito consultor científico, que era a técnica de Bass modificada (aquela que os dentistas ensinam inclinando a cabeça da escova em 45º. na direção das gengivas, de forma a permitir que as cerdas realizem pequenos movimentos curtos para desorganizar a placa bacteriana da região mais crítica quanto ao risco de problemas ? a união entre o dente e a gengiva).

Diante da felicidade exaltada pelo sorriso do representante comercial, por constatar que seu homem de confiança tinha uma resposta na ponta da língua e do próprio representante por entender que assim resolveria a minha questão, agradeci a ambos pela gentileza, e segui em retirada do local aonde nos encontrávamos com uma certeza ? o pobre Bass e todos os estudiosos que revisaram sua técnica de higiene bucal, ao longo dos anos ? através de publicações científicas sérias, devem estar se revirando no aconchego das suas tumbas ou dos seus ambientes de pesquisa.

Ao descrever a técnica, Bass, Fones e tantas outras de reconhecido destaque científico? conforme relato do Prof. Dr. Per Axelsson, em apostila traduzida pelo português, em 1981, pela FOUSP e das sucessivas edições do Tratado de Periodontia Clínica de Lindhe, noto que os pesquisadores tomaram a precaução de PRIMEIRAMENTE caracterizar a escova que atenderia o perfil daquela(s) técnica(s).

O modelo de escova para atender a essa demanda sugere que as escovas tenham cabeça de formato e tamanho adequado à arcada para a qual são prescritas ( pequenas de preferência), cerdas que estejam dispostas em um mesmo plano, de maciez bastante adequada e com, pelo menos, 3 fileiras de cerdas.

Qualquer mudança desse padrão exigiria readequação técnica e outro treinamento a ser transmitido pelos dentistas aos seus pacientes, mas que até hoje nenhum representante de marca soube transmitir aos colegas de profissão, até porque PARA SEREM transmitidos precisariam primeiro de RESPALDO CIENTÍFICO.

Recentemente fui procurado pela Revista Veja para emitir a minha opinião sobre essa questão, em uma matéria que abordava os mitos e as verdades sobre recursos de higiene bucal. A entrevista ? que conta com a participação de grandes nomes da odontologia ? permitiu a elaboração de um guia completo sobre as opções mais apropriadas ao público consumidor (Revista Veja 03/11/2010).

Gostaria de concluir o meu depoimento, dizendo aos dentistas e pacientes para se impressionarem menos com o visual e mais com o que faz diferença ? as escovas com cerdas de corte e texturas adequadas as suas necessidades não são as mais vendidas pela televisão. Prestem atenção nisso.

Recent Posts