Aprenda os cuidados com a higiene bucal de pacientes com HIV

 Em Boca seca, Dia-a-dia, Público em geral

Com os cuidados corretos, soropositivos tem uma vida normal. Aprenda neste artigo os cuidados com a higiene bucal de pacientes com HIV!

Diagnosticado como um vírus da imunodeficiência humana, o HIV (human immunodeficiency virus) também é o agente causador da AIDS. Apesar das políticas públicas de conscientização dos tipos de contágio, aproximadamente 0,6% da população brasileira está contaminada com o HIV, a maior incidência da América do Sul.

Mesmo com todo o estigma em cima de certos comportamentos sexuais. É preciso apenas o contato com uma das formas de transmissão para ser contaminado, as principais são:

  • Compartilhamento de seringas ou agulhas;
  • Transfusão com sangue contaminado;
  • Instrumentos de manicure não esterilizados;
  • Estúdios de tatuagem e piercing que reutilizam material;
  • Ferramentas odontológicas não esterilizadas;
  • Sexo (oral, vaginal ou anal) sem uso de preservativo descartável.

É preciso também ressaltar que a mulher portadora do vírus o transmite para o bebê durante a gravidez, parto e a amamentação.

Diferente do que a maioria das pessoas sabe, o HIV não é a mesma coisa que a AIDS. O vírus HIV ataca as células imunológicas provocando sintomas simples como de uma gripe por aproximadamente 2 semanas, evoluindo para uma longo estágio assintomático que pode durar de 3 à 20 anos e só depois desenvolver a AIDS.

Principais tratamentos

Além de todos os médicos tradicionais que uma pessoa saudável deve frequentar, o paciente soropositivo deve ser acompanhado de perto por clínicos gerais e infectologistas. É interessante que o paciente tenha acesso a um psicólogo para ajudar a lidar com as questões emocionais que o HIV trás.

Apesar de ser uma doença sem cura, o HIV conta com tratamentos para evitar que a saúde do paciente como um todo piore. Estes são:

Profilaxia pós exposição (PEP)

Usado como medicamento de emergência. A PEP reduz os riscos de contágio em casos que o paciente foi exposto ao possível vírus ou não sabe se foi exposto, como em casos de relações desprotegidas e estupros.

Antirretroviral

Com uso de medicação via oral a longo prazo, os medicamentos prescritos aqui ajudam que o paciente tenha uma vida normal com a doença. Com diversos efeitos colaterais, o tratamento deve ser associado a exercícios físicos e boa alimentação para que funcione mais efetivamente.

Como fazer a higiene bucal de pacientes com HIV?

A saúde bucal vai muito além da estética, a boca serve como porta de entrada de bactérias e doenças. Pacientes com HIV convivem com a  baixa imunidade frequente e devem tomar cuidados redobrados com a higiene da boca, a fim de evitar qualquer contágio.

Pacientes soropositivos costumam ter mais chances de sangramentos bucais sem motivo aparente. As inflamações nas gengivas e dentes podem se agravar rapidamente pela doença, deixando os dentes moles e podendo causar até a perda muito mais rápido que em uma pessoa não portadora.

A escovação recomendada é feita com uma escova de cerdas macias ou extra macias para evitar lesões. Com a escova posicionada a 45º do dente, devem ser feitos movimentos de “varrer”. A escovação deve continuar com movimentos circulares em cada dente para retirar todos os restos de alimentos.

A limpeza entre os dentes não deve ser esquecida. O fio dental deve ser utilizado após cada escovação e a escovinha interdental pelo menos 1 vez ao dia.

Com diversos tamanhos e texturas de cerdas disponíveis, a escovinha interdental rosa 0.4 mm da TePe tem a espessura de um fio dental e com suas cerdas macias limpa sem ferir a região.

Os produtos TePe estão disponíveis nas melhores farmácias do Brasil e do mundo! Clique abaixo e encontre um de nossos pontos de venda perto de você!

Banner Loja Perto de Você

Posts Recentes

Deixe um comentário