fbpx

Higiene bucal e rendimento no esporte: entenda a relação!

 Em Cárie, Dia-a-dia, Público em geral

Problemas na saúde podem afetar nas atividades físicas. Entenda neste artigo a relação da higiene bucal e rendimento no esporte!

A prática de esportes é algo que faz bem para a saúde. Porém, qualquer exercício físico exige que o corpo todo esteja preparado. Se dedicar a vida de atleta requer uma ótima saúde geral e uma ótima alimentação para complementar.

Apesar de pouco esperado, a saúde bucal tem grande influência no rendimento esportivo e na saúde de todas as pessoas em geral. A falta de higiene bucal e rendimento no esporte tem como maior problema a presença de bactérias no corpo.

Qual a relação entre higiene bucal e rendimento no esporte?

Atletas precisam além do treinamento, descansar e se alimentar muito bem e de forma regrada. Inflamações e dores na boca podem atrapalhar esses momentos, prejudicando o treino ou competição a seguir.

Perder um dente para um atleta vai muito além da estética e bem estar. Atletas com menos dentes na boca tem problemas de mastigação, o que pode causar dificuldade na nutrição e dores na região da boca.

Doenças bucais e a falta de higiene podem deixar aberta a porta que faltava para o corpo desenvolver problemas mais graves. Além de deixar a recuperação de uma lesão muito mais lenta e difícil.

Com todas essas informações em mãos, podemos concluir que a higiene bucal afeta sim todo o corpo de diferentes formas.

Outras consequências da higiene bucal inadequada

Uma higiene bucal inadequada prejudica não só condicionamento físico, mas diversas outras áreas da vida, veja abaixo:

Endocardite bacteriana

Infecção grave que pode levar a morte. A endocardite bacteriana acontece quando as bactérias da boca entram na corrente sanguínea e chegam ao coração, inflamando todas as artérias, válvulas e tecidos que cobrem o órgão. Quem já tem algum problema de coração tem maiores chances de desenvolver a doença.

O tratamento é feito em 2 etapas. A primeira com medicação antibiótica e a segunda com procedimentos no consultório do dentista.

Parto prematuro

Durante os 9 meses de gestação, os hormônios deixam as gengivas mais propensas a inflamações. Além de por conta dos enjoos e vômitos, a higiene pode se tornar mais difícil e desagradável.

Gestantes que não realizam os cuidados com a boca podem desenvolver doenças periodontais. Essa condição nada mais é do que a inflamação das gengivas e estruturas da boca, que podem ter como consequência a perda óssea e até a perda dos dentes.

Estudiosos confirmam que as bactérias da infecção bucal estimulam as contrações e dilatação do colo do útero, aumentando as chances de um parto prematuro.

Diabetes

O paciente diabético tem maiores chances de desenvolver doenças periodontais pela fragilidade de regeneração dos tecidos. Por este motivo a saúde bucal deve ser cuidada para não afetar a saúde como um todo e desregular taxas importantes. Esses pacientes são mais propensos a desenvolver feridas e ter perdas ósseas na região bucal.

Como cuidar da higiene bucal

A escovação é o meio mais fácil de prevenir as doenças bucais. Com uma escova macia, a escovação deve ser feita pelo menos 3 vezes ao dia ou após cada refeição. Com movimentos circulares e de “varrer”, os dentes devem ser limpos suavemente para retirar os restos de alimentos e acúmulo de biofilme.

Como complemento também deve ser utilizado o fio dental e a escova interdental para limpeza completa dos menores espaços. Aprenda a limpar os espaços entre os dentes lendo este artigo: Fio dental X escovas interdentais: qual é o melhor?

Conhece algum atleta que deve se preocupar com a higiene bucal e rendimento no esporte? Marque ele ou ela nos comentários!

Posts Recentes

Deixe um comentário